quinta-feira, 25 de abril de 2013

Impor limite também é caridade




            Semelhantes amados,

            Compreendemos que nossa tolerância frente às limitações e a natureza alheia nos faz ser propagadores da paz e da divina lição, ao entender que cada irmão tem sua limitação, suas peculiaridades e dela não se perturbar ou fazer dele instrumento de prejuízo à própria encarnação.

            As leis divinas são normas para que possamos em comunhão caminhar com lisura, honestidade e bênçãos, as regras existem não para nos amordaçar e sim para frear os exageros e abusos que são cometidos por diversos irmãos.  Assim como as leis do homem, sem elas o caos seria generalizado e não conseguiríamos a harmonia que tanto pleiteamos à humanidade.

            Ao impor limites ao seu semelhante, você estará dando a ele a oportunidade de corrigir seus erros e defeitos, aperfeiçoar sua natureza, seus conceitos e mesmo resgatando o que de melhor cada um tem dentro de si. Pode os irmãos indagar este contexto, onde os exageros do mal imperam sobre a vida humana, mas cada um estará contribuindo para própria sorte, engana-se que os irmãos estarão limitados aos julgamentos do planeta, ao contrario, o prontuário vital que fará da nossa sentença o ato de ser conduzido para onde nossas condutas nos levaram. Evidente que a justiça de Deus é contraria a dos homens, nosso Pai permite que cada um de nós possa refletir nossos atos, e quanto tempo vai levar? Somente a corte celestial determinará. Mas nossos atos mesmo que não atingimos no próximo a vontade do bem, já contará em favor em nosso julgamento celeste, lembre-se que a omissão também é um agravante que pesa contra os atos, por isto, mesmo a quem você orienta e mostra o caminho do bem e não é correspondida ou ouvida, sua parte como instrumento de Deus se cumpriu, ao contrario de quem despercebeu os sinais do resgate.

            Sabe falar não meus irmãos é uma forma de amar, pois ele que nos faz diretamente agentes do Pai, imagine se nosso Pai fosse atender a todos os pedidos, como seria nosso planeta injusto. A negativa de um desejo é a oportunidade de quem o tem de recomeçar novamente e repensar o porquê teve esta afirmativa do não perante seu desejo.

            Para isto é importante observar e amando uns aos outros e de forma justa e coerente, obedecendo sempre o poder do livre arbitro, ao qual até mesmo o Pai não interfere, mas sempre envia os anjos a nos amparar sempre, basta simplesmente reconhecer os sinais.

            Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário