sexta-feira, 26 de abril de 2013

A oportunidade são as mesmas, mas a missão é única.



            O sol nasce e brilha para todos, para o justo ao injusto, para o bem e para o mal, para milionário ao miserável, ao sorriso e ao choro, a alegria e a tristeza, ao sadio e ao enfermo, enfim meus irmãos, independente das nossas ações e praticas individual somos todos comungados pelo amor divino que não distingue ninguém a desfrutar as maravilhas celestes.

            Não haverá distinção a nenhum irmão pela graça, Ele não nos privará pelo motivo de termos todas as oportunidades de caminhar rumo ao seu reino, não seremos privados pelos nossos erros a presenciar todos estes bens, a chuva cai para todos, o oxigênio da vida é para todos, a natureza esta a disposição de todos, são todas estas dadivas que nos faz constatar a presença do Pai perante todos.

            A colheita dos nossos frutos dependerá exclusivamente do cuidado com a semente plantada e cuidada, e está responsabilidade é exclusiva de cada irmão, de rega-la e protege-la de todo mal. Mesmo com todo cuidado, há os riscos de sermos cometidos pelas pragas que vivem para destruir a bela arvore e contaminar todos os frutos, e neste instante que vamos ter que tomar os cuidados para que a preguiça não instale e não acomode no sentido de agir ao contrario.

            A ameaça vem para todos, mas a nossa proteção é fundamental ao cuidado, veja o grande roseiral, lindo e belo, num instante pode ser todo devastado pelas pragas e destruir todo encanto, mas se na vigília se perceber haverá o tempo para recuperar e afastar a ameaça. Senão veremos tudo se desmoronar e todo serviço perdido, ficando apenas a tristeza e o choro da lamentação. Mesmo todas as oportunidades sendo únicas, com todos os meios de seguir ao bem, somos desafiados constantemente a tirar as pragas do pecado que tanto nos ameaça.

            Como criação divina temos nossos compromissos com o Pai, ele nos oferta todas as condições, mas a chance está conosco para demonstrar a confiança depositada. Evidente que muitos hão de falhar na sua missão, e claro deverá e terá novas oportunidades para demonstrar que pode se fazer melhor e fazer jus à benção de Deus. Por isto aos olhos alheios podemos no planeta vermos grosseiramente a grande inversão do justo ao injusto, pessoas tendo as oportunidades, mas com suas diversas colheitas e resgates, principalmente no que diz respeito ao acessório material, onde os fortuitos da matéria se apossam de grandes fortunas e se perdem na grande escuridão da vaidade, do orgulho e do poder, onde muitos se põem a fazer a caridade em fragmento, em sua missão de contratar e subsidiar a sobrevivência de irmãos é cumprido, mas furtado negativamente pela arrogância e as injustiças, quando faz da sua posição aporte de superioridade hierárquico, mas de enorme vazio espiritual. Ao passo que um limitado da matéria terá o melhor da caridade pura a ofertar e se fazer mensageiro do senhor na mais pura felicidade. Claro não ser está concepção uma regra, mas ocorre no cotidiano com maior facilidade fluidez.

            O que encontraremos em nosso caminho e na missão designada é determinado e mandado pelo que produzimos no presente e no passado, no proposito de juntarmos as experiências para o melhor do futuro, mesmo que os caminhos e os espinhos sejam ferrenhos, mas a certeza de conquistar e vencer todos os desafios é que fará da nossa existência o ingresso e o acesso ao Reino, bem como sermos merecedores de fazer parte da providencia do Senhor, bem como sermos servos de Jesus na mais justa e genuína condição de servidores do bem.

            Aproveite ao máximo o melhor de você, se tens tudo perfeito a sua frente tem tudo para conquistar o reino, e jamais credite as limitações materiais a punições imagináveis, se não tem riqueza material é porque sua maior riqueza não cabe nas privações deste mundo, e sim deve está a serviço de todos, com o escritório do seu coração a prestar o auxilio necessário a cada momento requisitado.

            Dr. Bezerra de Menezes

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário