terça-feira, 30 de abril de 2013

Da guerra ao exemplo



            Celio era um rapaz obediente à família e seguidor dos ensinamentos de Jesus, durante toda sua adolescência despertou o interesse em ingressar as Forças Armadas, mais especificamente no exercito. Desde os 15 anos fora se preparando para quando chegar à maioridade, fisicamente e intelectualmente.

            Na noite anterior ao alistamento militar sua ansiedade era grande, principalmente que sua vaga já era garantida pela influencia de seu avô que fora oficial do exercito. A apresentação era as 08h00min e desde a madrugada já se posicionava na fila para ser o primeiro aos exames admissionais.

            Enfim, consegue fazer todos os exames e ingressar ao exercito do seu país, passa-se o tempo à dedicação e o compromisso de responsabilidade despertou em seus superiores admiração e intensão de tê-lo ao seu lado. Mas como em todos os lugares há quem nos inveja por destacar pela obrigação de todos, desempenhar com seriedade suas obrigações. Na corporação o tenente Ramiro era o comandante de Celio e tinha por ele uma raiva e inveja pelo seu destaque e admiração dos superiores e sempre fazia com que Celio fosse o mais prejudicado, mas não importava obedecia as ordens sem reclamar, até mesmo quando fazia com que ele dobrasse o plantão de vigília.

            Com os problemas políticos sérios de seu país frente a outros países, estoura uma guerra bélica, como era soldado, tenente Ramiro logo o coloca na linha de frente e seria quem abriria os combates e liderasse os soldados. A vontade de Ramiro era que ele fosse eliminado pelas tropas inimigas, mas não foi isto que surtiu, Celio conseguia combater e aniquilar os adversários, cada vez mais conquistava a liderança de seus amigos soldados e o General Souza via com bastante atenção seu desenvolvimento. Tenente Ramiro, a cada dia ficava mais furioso e como líder de Celio, determinava as tarefas mais desafiadoras e perigosas e mandava que ele se infiltrasse nos campos mais perigosos. Batia sempre uma revolta em Celio dos problemas que seu superior determinava e as raivas que impunha, mas tinham que aceitar com obediência, alguns dos soldados pedia para que ele atirasse no tenente como fosse acidental ou tiro de inimigo, mas Celio sempre não dava atenção, dizia que não conseguiria ser desleal, mesmo sabendo que a vontade do tenente era que ele se ferisse ou mesmo fosse morto, mas seu desejo não era revidar e sim obedecer.

            Numa determinada ocasião, o Exercito inimigo avança sobre o comboio e vários soldados são mortos e os inimigos avançam sobre o quartel de comando, alguns soldados conseguem dominar os sentinelas e entram para dentro do escritório, e chegam a frente do tenente Ramiro e na mira dos soldados que querem o levar como prisioneiro, são três soldados que apontam o fuzil para o tenente, Celio ao ver a movimentação, pois se encontrava em outro ambiente, consegue adentrar sem ser percebido e consegue matar dois soldados e o terceiro conseguira esconder e atira no soldado que cai, neste instante o tenente Ramiro consegue acertar o tiro fatal no soldado que queria prende-lo e corre para socorrer Celio, que ainda com vida diz ao tenente: - Morro feliz por saber que pude servir e tentar proteger meu país e por ter salvo o senhor, mesmo sabendo que não gostava de mim, eu tenho a agradecer, se não fosse pelas horas extras, pelo serviços pesado e por ter me dado a liderança da tropa mesmo com risco eminente de morrer, aprendi a ser um soldado e por isto aqui estou morrendo pela pátria, obrigado comandante.

            Em prantos o tenente que tanto perseguira aquele rapaz, providencia um funeral digno de um oficial do exercito, após o termino da guerra, Ramiro é reformado e passa a dedicar sua vida a auxiliar o próximo e funda uma associação com o seguinte nome: Associação do Bravo Soldado Celio, em referencia ao soldado morto na guerra e que salvara sua vida.

            Esta lição meus amigos nos traz a reflexão, que mesmo as pessoas querendo nos atrapalhar de alguma forma, nos invejar, querer nos prejudicar de todas as formas e até mesmo usando sua superioridade hierárquica para querer impor o mal, Cristo nos ensina que não devemos retrucar como a mesma carga nos é postas, com humildade e com coragem devemos enfrentar, pois os desafios são e sempre serão as melhores escolas do espirito, e lembre-se que aquele que tanto despreza, pode ser aquele que poderá te salvar de todas as formas e da forma que menos imagina, mesmo tendo com ele as armas para aniquila-lo e prejudica-lo ou até mesmo mata-lo na vida material e arrasa-lo na vida espiritual. Neste caso quando ver que alguém quer prejudica-lo, lembre do exemplo de Cristo, que aceitou sua condenação e sua sentença, morto e crucificado e mesmo assim, nos amou, nos salvou e nos salva com amor que muitos vezes desprezamos nas nossas ações.

            Dr. Bezerra de Menezes.
  

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Ser Discípulos de mim e apostolo de Cristo.




            Cristo reuniu em torno de si 12 homens a fim de propagar a boa nova, pode-se perguntar: porque somente homens escolhidos para seguir o Mestre? Como já aprendemos mesmo o Criador arquiteto do mundo e das nossas vidas, ele respeita nosso livre arbítrio e como tal os costumes da época. Na ocasião as mulheres daquele tempo, não poderiam destacar-se em absolutamente nada, apenas como donas do lar. E visando a propagação da boa nova e com devido respeito aos costumes, o Messias reuniu em torno de si os homens, mas provou o quanto a mulher sempre foi importante, principalmente em perdoar Madalena e salva-la do apedrejamento, como a reflexão do pecado e entregar sua mãe Maria a nossa proteção.

            Vemos desde os primórdios e da outrora vinda de Cristo, vários profetas do bem que puseram a serviço do segmento de Deus, mas foi Jesus quem trouxe a divisão do tempo da vida terrena, onde o novo mundo começava e comprovado no novo testamento. Como tal, na reunião com seus apóstolos e após sua crucificação, ele deu a cada um a missão de ir para o mundo fazer discípulos da palavra, e assim conquistou adeptos e ovelhas. Muitos foram perseguidos, mortos, queimados, torturados, por seguir o Mestre, não muito diferente no auge da vida presente, muitos são perseguidos por escolher o caminho correto de Cristo.

            Ser discípulos do Cristo antes de qualquer coisa é uma dadiva, uma conquista e um compromisso responsável para com as suas preposições e mostras da salvação, engana-se que a tarefa será fácil, não foi para o unigênito de certo que os desafios para que seguissem serão páreos ou mesmo maiores, muitos podem sofrer com as desconfianças, agressões, sacarmos e zombarias, até mesmo intolerância, ódio, raiva, pois são estes os ingredientes do mal a serviço da destruição da humanidade e do desvio da verdadeira salvação.

            Para desviar dos desafios serão necessários, a determinação, coragem, fé, trabalho, muito suor e sangue para que seguir no caminho da salvação, mas se neste caminho a perdição se fazer presente em seu ser, lembre sempre que Ele esta conosco, pronto a nos amparar com os anjos da vida e da salvação, enviados em formas de amor, irmãos, família, amigos.

            Lembre-se com muita atenção que o anticristo estará a espreita pronto para arrebatar as multidões de Cristo, a perder-se em interesses sórdidos, principalmente nos sacerdócios das palavras, onde muitos motivos por interesses, como comerciantes do templo que Cristo expulsou, prontos a comercializar aquilo que esta a disposição de todos, a graça e principalmente o milagre que com fé e certeza no verdadeiro caminho, poderá alcançar sem os intermediários do planeta, basta aceita-lo na sua vida e em seu coração, aprenda com a verdadeira escola pratica da vida real.

            Sejamos discípulos e apóstolos do bem e estejamos atentos a toda tentação, desde a mais simples a mais arrebatadora situação do mal, pois a serpente da sedução estará sempre pronta para dar o bote e aplicar seu veneno fatal, atende-se sempre, orai e vigiai, e creem sempre, mesmo que ande pelo vala da sombra e do sofrimento, nada há de temer porque o Senhor estará contigo .

            Dr. Bezerra de Menezes.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A oportunidade são as mesmas, mas a missão é única.



            O sol nasce e brilha para todos, para o justo ao injusto, para o bem e para o mal, para milionário ao miserável, ao sorriso e ao choro, a alegria e a tristeza, ao sadio e ao enfermo, enfim meus irmãos, independente das nossas ações e praticas individual somos todos comungados pelo amor divino que não distingue ninguém a desfrutar as maravilhas celestes.

            Não haverá distinção a nenhum irmão pela graça, Ele não nos privará pelo motivo de termos todas as oportunidades de caminhar rumo ao seu reino, não seremos privados pelos nossos erros a presenciar todos estes bens, a chuva cai para todos, o oxigênio da vida é para todos, a natureza esta a disposição de todos, são todas estas dadivas que nos faz constatar a presença do Pai perante todos.

            A colheita dos nossos frutos dependerá exclusivamente do cuidado com a semente plantada e cuidada, e está responsabilidade é exclusiva de cada irmão, de rega-la e protege-la de todo mal. Mesmo com todo cuidado, há os riscos de sermos cometidos pelas pragas que vivem para destruir a bela arvore e contaminar todos os frutos, e neste instante que vamos ter que tomar os cuidados para que a preguiça não instale e não acomode no sentido de agir ao contrario.

            A ameaça vem para todos, mas a nossa proteção é fundamental ao cuidado, veja o grande roseiral, lindo e belo, num instante pode ser todo devastado pelas pragas e destruir todo encanto, mas se na vigília se perceber haverá o tempo para recuperar e afastar a ameaça. Senão veremos tudo se desmoronar e todo serviço perdido, ficando apenas a tristeza e o choro da lamentação. Mesmo todas as oportunidades sendo únicas, com todos os meios de seguir ao bem, somos desafiados constantemente a tirar as pragas do pecado que tanto nos ameaça.

            Como criação divina temos nossos compromissos com o Pai, ele nos oferta todas as condições, mas a chance está conosco para demonstrar a confiança depositada. Evidente que muitos hão de falhar na sua missão, e claro deverá e terá novas oportunidades para demonstrar que pode se fazer melhor e fazer jus à benção de Deus. Por isto aos olhos alheios podemos no planeta vermos grosseiramente a grande inversão do justo ao injusto, pessoas tendo as oportunidades, mas com suas diversas colheitas e resgates, principalmente no que diz respeito ao acessório material, onde os fortuitos da matéria se apossam de grandes fortunas e se perdem na grande escuridão da vaidade, do orgulho e do poder, onde muitos se põem a fazer a caridade em fragmento, em sua missão de contratar e subsidiar a sobrevivência de irmãos é cumprido, mas furtado negativamente pela arrogância e as injustiças, quando faz da sua posição aporte de superioridade hierárquico, mas de enorme vazio espiritual. Ao passo que um limitado da matéria terá o melhor da caridade pura a ofertar e se fazer mensageiro do senhor na mais pura felicidade. Claro não ser está concepção uma regra, mas ocorre no cotidiano com maior facilidade fluidez.

            O que encontraremos em nosso caminho e na missão designada é determinado e mandado pelo que produzimos no presente e no passado, no proposito de juntarmos as experiências para o melhor do futuro, mesmo que os caminhos e os espinhos sejam ferrenhos, mas a certeza de conquistar e vencer todos os desafios é que fará da nossa existência o ingresso e o acesso ao Reino, bem como sermos merecedores de fazer parte da providencia do Senhor, bem como sermos servos de Jesus na mais justa e genuína condição de servidores do bem.

            Aproveite ao máximo o melhor de você, se tens tudo perfeito a sua frente tem tudo para conquistar o reino, e jamais credite as limitações materiais a punições imagináveis, se não tem riqueza material é porque sua maior riqueza não cabe nas privações deste mundo, e sim deve está a serviço de todos, com o escritório do seu coração a prestar o auxilio necessário a cada momento requisitado.

            Dr. Bezerra de Menezes

            

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Impor limite também é caridade




            Semelhantes amados,

            Compreendemos que nossa tolerância frente às limitações e a natureza alheia nos faz ser propagadores da paz e da divina lição, ao entender que cada irmão tem sua limitação, suas peculiaridades e dela não se perturbar ou fazer dele instrumento de prejuízo à própria encarnação.

            As leis divinas são normas para que possamos em comunhão caminhar com lisura, honestidade e bênçãos, as regras existem não para nos amordaçar e sim para frear os exageros e abusos que são cometidos por diversos irmãos.  Assim como as leis do homem, sem elas o caos seria generalizado e não conseguiríamos a harmonia que tanto pleiteamos à humanidade.

            Ao impor limites ao seu semelhante, você estará dando a ele a oportunidade de corrigir seus erros e defeitos, aperfeiçoar sua natureza, seus conceitos e mesmo resgatando o que de melhor cada um tem dentro de si. Pode os irmãos indagar este contexto, onde os exageros do mal imperam sobre a vida humana, mas cada um estará contribuindo para própria sorte, engana-se que os irmãos estarão limitados aos julgamentos do planeta, ao contrario, o prontuário vital que fará da nossa sentença o ato de ser conduzido para onde nossas condutas nos levaram. Evidente que a justiça de Deus é contraria a dos homens, nosso Pai permite que cada um de nós possa refletir nossos atos, e quanto tempo vai levar? Somente a corte celestial determinará. Mas nossos atos mesmo que não atingimos no próximo a vontade do bem, já contará em favor em nosso julgamento celeste, lembre-se que a omissão também é um agravante que pesa contra os atos, por isto, mesmo a quem você orienta e mostra o caminho do bem e não é correspondida ou ouvida, sua parte como instrumento de Deus se cumpriu, ao contrario de quem despercebeu os sinais do resgate.

            Sabe falar não meus irmãos é uma forma de amar, pois ele que nos faz diretamente agentes do Pai, imagine se nosso Pai fosse atender a todos os pedidos, como seria nosso planeta injusto. A negativa de um desejo é a oportunidade de quem o tem de recomeçar novamente e repensar o porquê teve esta afirmativa do não perante seu desejo.

            Para isto é importante observar e amando uns aos outros e de forma justa e coerente, obedecendo sempre o poder do livre arbitro, ao qual até mesmo o Pai não interfere, mas sempre envia os anjos a nos amparar sempre, basta simplesmente reconhecer os sinais.

            Dr. Bezerra de Menezes.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Gratidão




            Irmãos amados,

            Ao ler esta mensagem de certo tens a faculdade do discernimento e da interpretação da exposição, de certo que esta qualidade é dada pelo nosso senhor para que possamos não apenas aprender e aproveitar esta lição, como bem fazer da nossa existência um ato de um concerto clássico para admiração e interpretação dos nossos atos, pelo singelo toque divino a nos presentear e reger.

            A existir nos faz ser grato a toda confiança depositada, bem como as oportunidades de aprender com nossos erros, levantar pelos nossos tropeços. O que infelizmente ocorre no planeta social é a inversão da gratidão se transformando em abuso frente aos designíos do criador, bem como desonra-lo pelos nossos exageros e ingratidão.

            A ingratidão irmãos não ocorre somente com as obras divinas, como há na destruição da natureza que tanto nos oferta a vida, como no desmatamento das arvores que tanto nos auxilia no oxigênio vital e nos oferece a doce sombra ao qual podemos sonar nosso cansaço, à agua que tanto nos presenteia com o alimento da vida, nos oferecendo a condição de continuar nossas tarefas, o fogo para esquentar nosso frio e clarear nossa escuridão, os frutos das sementeiras que tanto nos sacia a fome física, os animais que tanto nos almeja como anjo e destruímos sua devoção a nossa evolução, enfim irmãos muitos são ingratos com o presente tão acessível e gratuito que é presentado pelo céu do Senhor e destruímos como se aniquila um adversário a nos ameaçar.

            Ser ingrato não atinge somente as esferas celestiais, também aos nossos semelhantes, somos todos irmãos e postos na mesma condição para ajudarmos uns aos outros para ser feliz e habitar o reino, ao invés, testemunhamos a avassaladora forma de destruição dos sonhos de nossos semelhantes. As mães que tanto amor deposita ao sangue do seu sangue, mas em sua maioria é incompreendida e covardemente agredida com as costas dadas e os crimes cometerem, seja em não reconhecer e fazer valer todo ensinamento de ser do bem, isto não é unanime, evidente, mas em sua grande maioria vemos através dos atos do mal, serem cometidos por irmãos que vem por intermédio do amor.

            Quantos irmãos são postos em xeque em suas praticas e reconhecimento de quando dividimos nossas diferenças ao nosso semelhante e quando este faz voz de Deus a nos orientar pelo caminho errado que muitas vezes escolhemos, não damos a devida atenção acreditando não ser do departamento alheio o interesse e por tal aventura-se em trevas e na perdição do vale das sombras e do sofrimento.
           
            Ser grato a Deus pai, a vida, aos amigos, a família não é simplesmente dizer ser grato pelas palavras que voam ao leo, é demonstrar através das ações nosso comportamento e fazer valer a cada ensinamento um gesto de agradecimento a quem lhe confia, como também se fazer condutor e protagonista da gratidão.

            Jamais espere transcrever ao epitáfio o que poderia ter e ser dito e agradecido neste momento, diga que ama a quem realmente ama, agradeça a vida, agradeça sua diva a única mulher que te amara e te salvará de todas as formas que alguém pode ser salvo e traduzido apenas numa silaba, mãe.

            Dr. Bezerra de Menezes

terça-feira, 23 de abril de 2013

As diferenças dos iguais




           
            Somos todos frutos da criação divina e como tal nascemos perfeitos e íntegros, somos colocamos em determinados mundos para nos desenvolver, assim como uma semente jogada a terra para germinar e dar frutos para outros desfrutarem nossa sadia oferta.

            Durante a experiência existencial vamos nos deparar com criações divinas e irmãos páreos na criação e diferenciados nas aparências, estas diferenças nos é comungada para aprender a lidar com as diferentes formas da natureza.

            Iniciamos nossa caminhada igual, e com as etapas da evolução vamos experimentando novas e desafiadoras situações, como a que se vive no planeta, quantos irmãos vivenciamos as paginas da vida e todos com diferentes historias para continuar a escrever, aperfeiçoando-se a cada capitulo. O planeta traz estes desafios e muitos outros, entre eles as diferenças raciais, sexuais, intelectuais, sociais, conceitos, vidas orgânicas e inorgânicas, enfim, uma grande mistura entre os iguais se diferenciando em suas igualdades físicas e classes evolutivas.

            Não saberemos o sentido do outro se não sentir na própria existência a experiência de viver cada momento diferenciado, a providencia divina é tão sublime que nos permite viver todas as formas de vida, desde a semente à condição angelical, para isto haveremos de nascer a cada ciclo vital e habitar diferentes mundos.

            Antes de criticar seu próximo, exclui-lo pelas diferenças, viva por um instante a posição alheia e veja como se sentiria excluído e criticado pela forma que Deus lhe fez. Ao desdenhar, escanar, excluir, aniquilar, zombar seu próximo, estará não apenas fazendo mal ao seu semelhante, principalmente a si, como também desrespeitado a obra de Deus. Quem tanto diz amar a Deus não deve jamais causar qualquer mal a sua criação e muito menos causar embaraços, pois ao praticar este crime, estará também o credenciando a viver a mesma situação, eis uma das explicações para tamanha diferença planetária, um ciclo que era para ser evitado se realmente compreendermos, agradecermos e respeitar toda criação do Pai.

            Dr. Bezerra de Menezes
           
           
            

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Pequenos erros podem nos comprometer seriamente





            Irmãos,

            Não é novidade a ninguém que o desejo de todos a viver no reino de nosso Pai é um desejo de cada irmão, sejam os contraventores das leis divinas, seja os que consegue resistir às tentações e seguir com fé a estrada do divino.

            Fazer por merecer a condição de habitante do reino dependerá exclusivamente da nossa vontade, mais nada, ninguém poderá seguir o nosso caminho se não for pela própria caminhada, podemos desejar que todos viessem conosco ao estreito portão, mas de pouco podemos fazer a não ser mostrar sempre o caminho do bem e esta ao lado de quem amamos, amparando seus passos e suas quedas.

            Mas muitos não percebem os pequenos erros que acumulamos durante nossa jornada ao planeta, o que de insignificante a nossos olhos pode parecer, mas soma-se ao nosso prontuário vital, seja nas intolerâncias quanto aos irmãos em evolução, o irmão que passou a nossa frente com alguma dificuldade e não o conduzimos a segurança, ao contrario, prejudicamos mais pela nossa omissão, quando um irmão chegou a nós querendo desabafar e desviamos dizendo esta atrasada e com pressa, alguém que nos pede uma oração e diz que a noite fará e nem uma oração improvisada ofertou, mesmo em silencio, ao colega de trabalho que passou por alguma situação constrangedora e fingimos não importar e se por a disposição, na escola, não usamos do nosso conhecimento para amparar e ensinar o outro colega, a quem pediu um prato de comida e fingiu não ser com você, soube de um emprego e não indicou ou informou a quem procurasse com desespero, a quem lhe estendeu a mão pedindo clemencia, desdenhamos e ignoramos, um animalzinho com algum perigo e de nada fez para coloca-lo em segurança, a quem não cumprimentamos por achar que o irmão é um chato e inconveniente a nossa vista, a endossar os maus ditos aos irmãos, quem usa de sua autoridade para deleitar a dor e a humilhação alheia, a não ceder a vez a quem esta em dificuldade, criticar uma criança que começa a vida, querer atrapalhar o próximo mesmo vendo sua dificuldade e inexperiência, julgar sem mérito, condenar sem provas, enfim irmãos poderíamos exemplificar diversos casos e situações errôneos que comprometem nossa encarnação, o que de pouco pode parecer com tempo acumula-se para vida e quando desejar que nossa vontade seja atendida, vamos nos deparar com situações que negativamente podem comprometer e ter que recomeçar pela humildade e até mesmo pelas limitações e pela dor moral ter que aprender realmente o valor das pequenas coisas.

            Pode parecer difícil cumprir e perceber estas situações? Será mesmo? Então a consciência de cometer o mal é fácil?  É muito cômodo justificar o mal com desculpas, mas qual será a dificuldade de praticar o bem?  Está reflexão que os irmãos em Cristo deve fazer a cada instante e a cada erro, onde ao reconhecê-lo e procurar elimina-lo do seu caminho já estará dando um grande avanço a remissão e a pesar a favor na sua ficha existencial da atual condição de vida material e aprendizado universal. Falta de informação, condição social, limitação física, diferenças inúmeras não devem e não serão aceitas como álibi para justificar suas fraquezas, e o que realmente será avaliado será seu esforço real de mudar.

            Policie suas ações a cada instante e momento, não tenha medo de errar, tenha sim medo de permanecer no erro sem querer mudar, pois a nossa vontade será determinante para onde estaremos e iremos.

            Dr. Bezerra de Menezes

De nada vai adiantar acumular os títulos se o coração se fechar



            Amigos,

            Nosso Senhor qualifica os irmãos por sua determinada condição em evolução, diversos títulos são conferidos e em diversas classes sociais e evolutivas, a grande roda da vida em promoção planetária serve como complemento e resgate de muitas almas que retornam para suprir a falta do passado.
           
            Os títulos conferidos nascem no momento da concepção ao intitular-se filhos, e ao casal, pais, e estendendo ao restante da família, mas este titulo é a confiança depositada no grande rol dos designo divino. A renovação da vida passa por diversas etapas, desde o ensino à vida ao aprendizado com diversos irmãos. Mas o que realmente a conferencia deste titulo traz? De certo é a transmissão e o desejo da felicidade em resultado carnal e espiritual, ao desejar que seu próximo seja feliz é também ser feliz, desde que seja de pura e determinada vontade e desprendimento de mesquinhos orgulhos e vaidades, ao receber a carne da sua carne o sangue do seu sangue, é o inicio de uma nova era, onde os irmãos se farão espelhos e modelos para seus herdeiros, amando – os mais que si próprio, mas se esta confiança falhar, seja na moralidade, seja na aplicação a educação, seu titulo não terá nenhuma utilidade, o status deste titulo é meramente uma ficha complementar, a verdadeira pratica e a dificuldade vencida está sim realmente honrará sua posição.

            O profissional de diversas profissões terrenas também tem sua missão para com o próximo, nenhuma profissão é menos digna que a outra, apenas o que diferencia são as responsabilidades, mas nenhuma deve se fazer melhor que a outra e desdenhar o próximo por sua condição social e financeira. Quantas vezes desdenhamos irmãos pela sua profissão e nenhum arrependimento bate isto é errado irmão, até mesmo o mendigo é digno do mais alto respeito, se ele se faz agressivo na vida, não será nosso preconceito que amenizará e fará dele pessoas melhores, ao contrario, nós que faremos de piores a nós mesmos.

            As facilidades que muitos irmãos encontram na vida material, em demasia são nocivas à própria encarnação, onde muitos não darão valor a que é ofertado e conquistado, não que os irmãos afortunados serão punidos, ao contrario, a facilidade de perder-se na desvalorização do seu próximo são grandes, ao não entender muitas vezes as dificuldades e limitações alheias.

            Quantos profissionais usando do status profissional escolhem seus clientes e desprezam outros pela condição social, quantos negam auxilio sem que o interesse financeiro esteja ao pleito, quantos barram a entrada de irmãos à sua presença, quantos governantes impedem o contato do seu governado à sua presença ao reivindicar seus direitos, será de que vale estes títulos? De certo irmão, não estará cumprindo sua verdadeira essência de apoio, e como desejará atuar nas esferas superiores da espiritualidade? Por isto irmãos valorizem sim seus títulos, mas faça realmente por valer a pena à confiança que nosso Senhor depositou em você, você quis tanto esta onde está é porque Deus lhe permitiu e concedeu, mas na hora de retribui-lo ao auxiliar um necessitado, você simplesmente vira as costas e os deixam como nauta perdida nas vastidões dos mares que procura um norte.

            Ao prestar contas de suas ações do planeta, certamente poderá precisar daqueles irmãos que tanto desprezou no planeta por sua condição social ou mesmo às diferenças peculiares, movidos pelo injusto conceito que se faz ao próximo.  A simpatia é o melhor impacto que poderá causar ao seu semelhante pela sua presteza. E quem oferta uma gentileza seja em qual circunstancia for, de certo poderá sempre contar com aquele ajudado no momento que mais precisar, até mesmo para interceder por você no momento em que mais precisar de um auxilio. Por isto faça realmente valer todos seus títulos e habilidades adquiridos em favor do próximo, é ele que determinará sua real amizade e salvação, jamais desperdice a oportunidade por orgulho e vaidade, auxilie sempre, ganhe dinheiro terreno sim, mas não se esqueça do verdadeiro bônus do credenciamento a sua colocação e merecimento a vida, tanto material e principalmente espiritual.

            Dr. Bezerra de Menezes
           
            

domingo, 21 de abril de 2013

Para as Multidões



            A importância de um líder nas suas atribuições atraem grandes responsabilidades em nome de sua capacidade de se fazer muito melhor a cada sentido da confiança depositada de nosso Pai a determinadas ações, como a multidão sedenta a esperança.

            Sim, somos todos frutos divinos, mas haverá irmãos escolhidos para se fazer espelho e comungar a boa nova como  um todo. O que vemos no planeta são crimes cometidos por lideres à frente de suas ovelhas, não o crime comum, mas o crime de trair a confiança de Deus. Sim, muitos desvirtuam e mesmo fogem a missão, outros desvirtuam sua caminhada em nome de pecados impregnados na alma.

            Não será incomum encontrar estas situações, na politica, vemos aqueles que devem fazer por onde ser o pilar da esperança de povos, desviando suas condutas em nome de poderes imaginários e que não lhe são adquiridos por méritos ao contrario, é chefes de nações derramando rios de sangue em nome de idealismos retrogrado e fúteis, em nome de uma soberania poderosa que visa à aniquilação de irmãos ao invés de trabalhar o molde. No sacerdócio vemos irmãos responsáveis por esclarecer a verdadeira missão, mas desvirtuam em nome de poderes eclesiásticos, doutrinários e mesmo evangélico para omitir, esconder e mentir, usurpar a consciência alheia em nome de poderes que lhe são conferidos, mas criminalmente abusado e turbado sua verdadeira regra, que são responsáveis por transpor e falar as palavras, mas usam em nome de interesses sórdidos e malignos, não todos, mas boa e grande leva de traidores de Deus que muitos usam seu nome para perder a multidão, que somos todos nós.

            Jesus Cristo multiplicou o alimento da vida, multiplicou para a multidão a boa nova, o reconhecimento do pecado e a remissão pelo próprio perdão, pode os irmãos do evangelho, espalhados por diversas nações sofrerem com o escarno e a intolerância de pessoas responsáveis por comandar e falar às multidões, mas de certo que todos têm o Amigo Divino, e este jamais há de desamparar suas ovelhas, desqualificando o próximo pela sua posição social, pois nos ama pelo o aconchego do nosso coração que permite ele nos acolher.

            Nada que nos é tomado injustamente será deixando ao esquecimento, o que nos é de direito usurpado e furtado por tamanha crueldade nos será pelo Pai entregue de forma justa, lembre amados irmãos, nosso Pai nos ama e é justo, por isto tenha sempre nele a certeza que nunca estará desamparado, mesmo que suas ações andem na contramão da sua verdade, havemos de colher os frutos do que plantamos, como sempre haverá o antidoto contra as mentiras, o pecado destruidor que muitas vezes é causado pelo nossa própria vontade.

            Dr. Bezerra de Menezes

           

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Ele não cobrou e para isto Cristo teve profissão



            Amados irmãos em Cristo,

            Diferentemente do mundo espiritual, no planeta material o subsidio pela sobrevivência física vem através da moeda pecuniária, fruto da criação de povos que por este mundo caminhou, evidente que reconhecemos que todo merecimento se conquista pelo trabalho justo.

            A limitação e a ganancia de muitos irmãos transformam o certo em duvidoso, em especial o ensinamento de Cristo, é notório saber que somos todos frutos divinos, ao qual a cada momento, a cada ciclo da vida há irmãos que vem ao planeta para propagar a boa nova e os ensinamentos a nos levar à salvação e a nossa posição no Reino de Deus.

            Infelizmente há muitos que são enviados a ensinar e fazer o bem, pela palavra e pelos dons gratuitamente em confiança cedidos pelo criador, assim como fez a Cristo seu unigênito, podemos por intermédio da fé fazer mudar para melhor, basta querer. Irmãos, quando Deus nos enviou seu escolhido e o fez em forma humana para comunga e se fazer páreo as necessidades essenciais da sobrevivência evidente que, com a resplandecente luz. Ao colocar seu escolhido entre nós, Deus fez de Jesus um ser humano comum com suas necessidades, entre eles, a sobrevivência pelo trabalho material, onde José o ensinou o oficio de carpinteiro, para quem desconhece, Jesus era um exímio profissional e fazia verdadeiras obras de arte com a madeira, mas voltando, Jesus teve que trabalhar para ajudar a sustentar sua família, bem como atender suas necessidades básicas, não tinha luxos, mas resplandecia felicidade pura.

             E veio em missão confiada diretamente pelo Criador, pregou a boa nova às multidões, bem como curou os enfermos, acalmou com agitados da alma, pregou no templo, multiplicou a vida e o alimento, deu vida as almas moribundas, deu animo aos perdidos da alma, direcionou os perdidos, enfim, dividiu o tempo e nos mostrou que todos podem fazer e ser o milagre em nome do Pai, quando nossa vontade é genuína. O mais importante irmãos, não cobrou nada por isto, nenhum centavo, não fez do seu dom a sua profissão, não usurpou a inocência e da ignorância alheia para se enriquecer e muito menos condicionou sua tarefa, seu proposito do bem e muito menos curou em troca financeira, ao contrario, expulsou os comerciantes do templo, que faziam da igreja uma podridão de interesses sórdidos. E desde aquela época até o presente momento da vida, muitos usam o nome do senhor para obter vantagens econômicas e impedir que irmãos possam obter a graça e conheçam realmente a verdade.

            Compreendemos que no planeta existe a moeda de troca para obter bens materiais, como a realização de diversas atividades, a doação espontânea aos templos para que façam suas atividades é justa, desde que não sejam exigidas e nem oferecida condições para que obtenham graças e acesso a verdade, deve ser voluntária, pois quando o proposito é serio nada há de faltar ao trabalho. Você não troca de forma paga para ter a luz solar, o oxigênio, a agua, a vida, como haveria nosso Senhor de cobrar para o bem, para fazer e ser do bem, isto é acessível a todos. Ele exige que sejamos do bem. Temos totais condições irmãos de buscar o bem, basta seguir o único caminho, Jesus Cristo, e seus ensinamentos e verá como será o melhor caminho, o acesso a ele não é demarcado por ninguém, vão até ele os puros e humildes de coração e todos os pecadores arrependidos.

            Dr. Bezerra de Menezes.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Reconhecer para crescer





            Amados irmãos,

            Havemos em primeiro momento reconhecer que somos seres puros e abençoados na criação pelo Onipotente, de certo que a criação e o compromisso para com nossa conduta passa por diversas etapas da evolução.

            Somos criaturas na concepção puros ao qual a evolução nos será testados na acústica do bem e do mal, mesmo sendo criações divinas, nos é dado o discernimento do entendimento e com o qual nos é dado o livre arbítrio das nossas escolhas e para onde caminharemos, se para o bem ou para mal. Evidente que responderemos conforme escolhermos, com base na semeadura das ações.

            Pode muitos perguntar: Estaria Deus brincando conosco? Faz-nos puros para nos perder? Irmãos, Nosso Senhor é tão sublime que nos faz para poder evoluir, ele não cria por criar, há o motivo de propagar a vida no sentido de tudo rodear na vertente de onde todos aprendem com todos para chegar ao seu reino, são etapas na evolução que devemos galgar, para que a grande roda gigante da vida possa fazer alunos e mestres, o universo e os mistérios criados pelo Pai não nos permite aprofundar nestes enigmas, pois jamais teremos a antecipação das nossas respostas pelo simples motivo de querer saber.
  
            É louvável querer descobrir de onde viemos e para onde vamos, mas a limitação da consciência nos permite dar o próximo passo nesta mesma instancia, não é do homem a permissão de explorar as obras divinas sem a devida autorização, mas o que se vê ao planeta são irmãos usando de suas evoluções intelectuais para descobrir algo que jamais alcançarão neste momento, serão necessárias novas experiências e em diversos outros mundos, mas primeiro havemos de reconhecer que nossa missão e compromisso do momento e nas experiências que se encontram. Não é explorar a lua ou outros planetas que a evolução terá sua etapa cumprida, ao contrario, podemos admirar e ter curiosidades nestas obras divinas. Como não é permitida a exploração destes e quem o faz cometem sérios erros que podem atrasar a evolução do próprio planeta como ocorrerá na exploração à lua, quando na ocasião o planeta estava pronto para evoluir e regenerar, e a conduta prolongou por mais cinquenta anos a restruturação e evolução planetária.

            Você não permite que ninguém invada seu lar para explorar sem sua permissão, assim como as obras divinas, havemos de explorar o que nos é dado em normalidade e dentro do circulo que nos forma. Onde inclusive a humanidade terrena é incapaz de zelar pela própria preservação do planeta em que vive em um todo e o que dirá na exploração de outros mundos?
           
            Esta situação irmãos, todos vivenciam no planeta, onde muitos preferem explorar a vida alheia, os comportamentos, a evolução e as condutas e esquecem muitas vezes de explorar o próprio mundo na vida ofertada, ao qual o vazio e as inexploradas e vastas condições de trabalhar para o próprio e muitos preferem trabalhar o próximo muitas vezes para nada fundamentar sua existência. Estes erros irmãos podem ser comuns, mas nocivos à própria evolução, por isto ainda é tempo de refazer seus pensamentos e buscar muda-los para melhorar seu mundo para depois querer admirar e mesmo adentrar outras vidas.

            Dr. Bezerra de Menezes

           
            

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Penitenciaria espiritual




            Amados irmãos,

            Somos todos responsáveis pelos nossos atos e mesmo onde estaremos, pois nossas ações e pensamentos que determinarão nossa sentença frente ao juízo espiritual.

            Engana-se no planeta que a absolvição de crimes cometidos pelas leis do homem será também absolvida pelo tribunal espiritual, não estamos temorizando e nem afirmando que os resgates espirituais devem ser temerosos a todos, não irmãos, havemos de respeitar as leis divinas conforme nos fora apresentada sem que houvesse doutrinas religiosas a interver perante o desejo do Criador. 

            Há séculos que a vida de muitos irmãos tem sido conduzida a luz de supostas crenças que prendem a verdadeira liberdade e a verdadeira pratica em nome de vaidades e soberanas mentes que ao invés de usa-la na total acústica e comunhão com bem, visa sim perder as ovelhas e prender aos irmãos na verdadeira condução da própria salvação, transgredindo as leis divinas, não devemos usa o código em favor de poucos e muito menos usar as condições materiais para ludibriar e pratica-la em favor de grupos interesseiros.
           
            Voltando a nossa reflexão, existem em mundos diversos as prisões espirituais, onde são levados para estes os irmãos que abusaram da força e de artifícios para cometerem crimes contra a lei divina que é diversa, os crimes que cometemos que não percebemos a gravidade que é aplicada por nós, aonde muitos são sentenciados a viverem na reflexão de varias ações, para sim poder ter uma nova oportunidade de reconhecer seus erros.

            Os crimes cometidos contra as leis divinas não são apenas as praticadas contra seu semelhante, fundamentalmente são os cometidos contra a própria vida, em vários aspectos, não apenas na autodestruição dos planos, são os exageros e auto aniquilação baseado no veneno da soberba, da irá, da vaidade, do orgulho, do ódio, do rancor, da inveja, como também dos assassinatos a outros irmãos, seja por motivo que for, como também aqueles condutores da aniquilação de irmãos com base nos vícios nocivos a saúde física que se reflete no espirito, causando a este irmão que perde a existência pela própria ação a condenação às privações e limitações físicas de outras oportunidades às novas encarnações, como aqueles os que alimentam esta arma destruidora que nada mais é que fonte de nocividade a mando do maligno e que será também responsáveis e responsabilizados por seus atos e pratica, mesmo sendo aparente inocência, mas que corroí o corpo e a alma.

            Entender entre o bem e o mal não é desculpa de desconhecimento do certo e do errado, nenhum irmão poderá se basear nestas defesas, pois é perceptível a todos, senão não teríamos a consciência do discernimento à vida e também a arguição de que sofrera alguma violência seja qual for às desculpas para as praticas do mal.

            A verdade que nossa conduta, assim como as injustiças de todo mal que é passado, é medida e de conhecimento do Senhor, mas Ele sempre devolverá novamente o que é tomado injustamente e por direito e dará a sentença justa a quem pratica o mal, não será da nossa competência fazer justiça em nome da injustiça, pois assim ao invés da misericórdia e da compaixão divina, terá a mesma sentença condenatória dos atos e dos excessos praticados. Ninguém é capacitado a ser o algoz de quem quer que seja, mas todos são capacitados a serem como uma criança, inocentes e sem a maldade da consciência, pois mesmo o crime, seja em qual circunstancia for que é praticado contra a criança, ela não desejara o mal, ficará triste e constrangida, mas o sentimento e a consciência vulnerável ao mal que determinará sua caminhada, mas a fé na justiça divina está sim deve ser confiada e lembrando que o tempo do nosso Senhor é completamente diferente a ansiedade da nossa injusta justiça. Um erro jamais deverá ser mote para crimes piores, pois o excesso e as injustiças serão julgados como qualquer outro.  

            Eis ai irmãos um dos vários desafios que cada um de nós deverá enfrentar na vida planetária, e entenda quem é justo e aplica a justiça como realmente deve ser é nosso Senhor Pai. Em muitos casos são entendido as revoltas contra o mal, mas será que é justo praticar o mal contra o bem divino? Reflitam e mude seus pensamentos, eles serão a sua defesa.

            Dr. Bezerra de Menezes

terça-feira, 16 de abril de 2013

Seguir como girassol




            Amados irmãos, quem compreende as belezas divinas da vida presenteada pelo nosso Senhor, é certo morador do Reino, evidente que não basta compreender como havemos de vivencia-las em toda acústica do dia a dia que formamos nossa pavimentação da vida comum.

            O sol que brilha sobre nós é a mesma luz que ilumina o bom e o mal, por isto que nossa verdadeira posição sobre ele é determinante para nossa divina salvação.  Se a luz é para todos, entendemos que as oportunidades são as mesmas, descrente a posição material da verdadeira salvação espiritual. Entenda irmãos, que há mais irmãos infelizes na riqueza material do que os irmãos que se privam do conforto abundante.

            O girassol na vida espiritual nada mais é que a obediência à luz, pois é a única que revência a luz solar em toda direção em que ela se posiciona, é esta sequencia que havemos de qualificar nossa existência, como também não basta simplesmente segui-la, há de acompanhar todo seu brilho e fazer jus a está oportunidade que é para todos.

            Se todos são abençoados com a luz o que espera para seguir todo caminho eloquente da verdadeira salvação, mesmo quando a nuvem negra da tempestade ofusca a clareza, a sua força não é tão grande quanto o brilho, por isto irmãos, acompanhe a luz divina e se em um momento da vida nublar o seu tempo, lembre de que seu brilho não pode se apagar pela ameaça da tempestade e mesmo que a raios e a tempestade se manifeste agressiva, mostre que toda sua força em Deus será suficiente para se proteger e caminhar para o brilho irradiante do sol.

            Dr. Bezerra de Menezes

segunda-feira, 15 de abril de 2013

As faces do amor.




            O único mandamento que Cristo nos deixou é fácil de expressar por palavras e difícil de viver e verdadeiramente tê-lo e desfruta-lo e mesmo distribui-lo aos  irmãos.

            É certo e condizente que, os desafios planetários, as mazelas da vida, os desrespeitos aos nossos semelhantes, ate mesmo destro do lar tem trago muitas discussões entre os amigos planetários e principalmente aos nossos amigos dos planos superiores, que constantemente são temas de palestras nestas abençoadas colônias. O amor parece ser desafiador e bastante intrigante aos amigos que por este planeta habitam a confusão entre o que é viver e praticar o amor confunde-se com as manifestações afetivas como os sentimentos de satisfazer até mesmo a lascívia de própria como de outrem.

            A realidade meus amigos jamais deve ser confundida com um sentimento platônico, queira Deus que as ideias de Platão traduzissem a verdade, pois há um sentimento dentro de cada um que respinga nas ideias deste filosofo que tanto contribuiu com suas ideias e até o novo milênio permanece vivo nos corações e razão de nossos irmãos, como os demais descendentes de discentes destes pensadores.

            E Cristo irmãos, não é diferente, há dois milênios que veio e sua mensagem é tão genuína nos dias atuais, quanto transmitida a todos naquele tempo e dentre eles o amor que incondicionalmente nos prestou, como a continuidade do sentimento de nosso Pai para com todos.

            Amar meus amigos é viver as dificuldades, a cólera, os desafios, constantemente ao nosso lado, ao pregar o amor e aconselhar que todos amassemos uns aos outros, Jesus já previa as dificuldades que enfrentaríamos e por isso se fez exemplo da superação deste sentimento único, imperecível da alma e do coração. Esta joia é o único sentimento que não se perde, pode-se adormecer, pois quando o dito amor se transforma em ódio, é porque jamais houve amor, apenas um sentimento distinto, mas confuso de quem diz ter.

            As dificuldades e desafios do amor pode-se compreender e comprovar-se diariamente, pergunte aos seus genitores e mesmo vocês que exercem a dadiva de receber o sangue do seu sangue, carne da sua carne, o quanto é difícil à proteção de quem se ama incondicionalmente, você compreende até mesmo os erros e as qualidades do seu fruto, isto é amor. E porque não fazer sentir e ter esta sensibilidade para com todos incondicionalmente, amando-os no entendimento das suas fraquezas e limitações, tanto quanto você mesmo confessa uma impotência diante de muitos desafios e temas.

            Ao amar a todos os irmãos, estará dando a você mesmo a oportunidade de comungar o mesmo amor de Cristo e do Pai para com todos e verá como fará bem a si próprio e acima de tudo ao seu semelhante. Não há utopia para o amor, há sim a realidade que vivemos, esqueça o mal, viva o bem na acústica de Jesus por ser o caminho, a verdade e a vida, através dele que estará nossa permanência no Paraiso. Para esquecer o mal, basta querer, por mais que ele queira se fazer presente em seu dia a dia, pois você é muito maior que ele, pois tem Deus agindo em você, e quando Deus age, não há mal algum que possa vence-lo.

            Dr. Bezerra de Menezes

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Confiança no proposito




            Para todos os seres existe um proposito de nosso Pai, sejam aqueles que para auxiliar o serviço, a evolução e também aqueles que vêm como enviado direto dele.

            Na historia vemos inúmeros casos de irmãos que são enviados com o proposito de propagar o bem comum e a verdadeira obra do divino pela boa nova.

            Em Nazaré naquele tempo, por lá vivia Maria, uma jovem simples, dedicada a família e também José, um carpinteiro temente às obras divinas e ao Senhor, numa certa ocasião, ambos casam-se como qualquer irmão e pelos costumes da época, só que na vida deles um rumo mudariam completamente não somente suas vidas, como mudaria o tempo da humanidade. Ambos são os escolhidos do Senhor para que recebessem aquele que dividiria a historia e mudaria nossa realidade da verdadeira vontade do Criador.

            A situação do casal confrontava com os costumes morais da época, mas como nosso Pai é perfeito em seu proposito, tratou de clarear a missão à Maria e José, a quem necessariamente eram os interessados, pois seriam os protagonistas da boa nova.  

            José como o chefe e o patriarca da família com a confiança no proposito do Senhor, recebeu o filho do Onipotente como todo amor, como carne da sua carne, e direcionou e participou ativamente da formação de Cristo na vida material, sendo o pai amoroso e dedicado e que ensinou o oficio profissional ao Messias.

            Esta passagem irmãos vai de encontro com a realidade diária da existência de todos nós. O proposito que nosso Senhor tem para cada um vem de encontro com a realidade do seu proposito para nossa sorte, não há em Deus a temeridade que nos fora passado como se Ele fosse o carrasco pronto a aniquilar sua criação, tudo errado irmãos, esta afirmativa era o proposito dos egoístas de não querer dividir o “poder” em nome de Deus que supostamente diziam ter. De certo irmãos, que Nosso Senhor em muitos momentos da historia e até o presente, precisou e precisa usar da sua severidade para conter os exageros da humanidade, mesmo que a realidade da humanidade continua perversa e pecadora, como jamais fez e faz pelo simples motivo do querer, como muitos irmãos na realidade usam do mal para justificar muitas vezes o nada, Ele observa tudo e cobra, mesmo que não seja no tempo que desejamos, mas dará a cada um o que cada um busca pelo seu livre arbítrio.

            Nosso Senhor é o único que nos ama com a sensibilidade de entender as nossas fraquezas e ofertar todas as oportunidades possíveis de corrigirmos, mesmo que para isto seja necessário nascer novamente, como Cristo diz em uma de suas passagens, que para o homem chegar ao Reino de Deus, será necessário que renasça novamente.

            Por isto irmãos, tenham a confiança incondicionada ao proposito divino, está certo que temos o livre arbítrio para agir, como também responder por ele, como jamais terá as costas dadas pelo Pai, mesmo que a ação será contraria as leis divinas, pois certamente terá novamente a oportunidade de acertar e quantas vezes mais forem necessárias, como nos ensina a perdoar quantas vezes for preciso, porque ele é o Mestre da vida.

            Dr. Bezerra de Menezes

           

             

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Vamos reclamar menos e agir mais




            É bastante comum na vida planetária e mesmo espiritual encontrar irmãos desiludido com alguma vertente ou realidade ativa a que sua existência lhe propõe. Em todos os setores da vida encontraremos desafios capazes de desafiar o bom animo como a disposição e mesmo os desejos mais comuns.

            Nenhuma carga será desproporcional à capacidade de cada resgate, mas de certo que o acumulo do passado como as praticas do presente poderão sim acarretar uma demanda muito desigual a que se propõe a encarnação, se assim for semeadura.

            O planeta propõe não somente o resgate do mal e dos desafios constantes, é a oportunidade de desfrutar o melhor de cada evolução, e claro, trazendo as marcas e a essência das experiências vividas somando com novas e boas ações praticadas.

O que ocorreu no passado e em outra encarnação? Não será de o presente saber. É necessário trabalhar cada dia mais para ser melhor, mesmo que os desafios do dia a dia possam desafiar não somente seu físico, mas desafiar a existência e acarretar a sensação de injustiça. Injustiça irmãos é não agradecer as oportunidades dadas pelo Criador de poder acertar corrigindo os próprios erros.

            Evidente que os irmãos vêm ao planeta no proposito de aperfeiçoar o presente e preparar o futuro para o reino de nosso Senhor, mas também não havemos de culpar apenas o passado, pois o presente é fundamental para as proporções de nos fazer merecedores de que nos é ofertados e a nós vivenciados. Refaça meus irmãos, a revisão em você e elimine os maus instintos e pare de reclamar que a vida é injusta e que não consegue o que deseja de certo haverá de modificar algo em você e fazer necessariamente o suficiente para fazer merecedor do pedido e lembre sempre que está em suas mãos a oportunidade de ser melhor.

            Nosso Senhor jamais é injusto, ao contrario, é correto e justo, Ele não nos dará tudo o que queremos por entender ser melhor para nós, mesmo que a vontade de querer seja pela vontade de fazer melhor, mas o melhor para você pode não ser o melhor na visão de nosso Pai, pois ele melhor do que nós mesmos sabemos o merecimento que nos é justo.

            Se algo der errado na sua vontade, não reclame, trabalhe para conseguir bônus muito melhor e não revoltar-se contra o Senhor. O trabalho amigos é muito além dos praticados profissionalmente são todas as ações voltadas para o bem melhor, pois todo merecimento se conquista através do trabalho, reveja novamente.

            Dr. Bezerra de Menezes

              


quarta-feira, 10 de abril de 2013

A lâmpada da vida não deve ser em vão




            A vida planetária irmãos é como a lâmpada que acende sua luz e ilumina o nosso caminho, ao mantê-la acessa, de certo que devemos aproveitar ao máximo da sua luz e seu brilho, pois ao apagar que veremos o quanto esta luz foi importante.

            A cada instante é importante e primordial em nosso dia a dia quando destacamos nosso brilho a serviço do próximo, dentro da importância da nossa iluminação que abre não somente em nós as importantes, mas relevantes serviços prestados pela clareza que nos faz enxergar a maravilha de cada momento de desfrute da matéria, pois é no planeta que aprendemos a evoluir para crescer na graça de nosso pai.

            Jamais nossa luz deverá ser usada para iluminar o nada, não sendo aquela luz distante e inacessível aos demais irmãos ao redor. Se sua luz houver a limitação pelo véu obscuro das trevas, ao qual não permite que possa visualizar para você mesmo e irradiar a seu favor, é necessário buscar o auxilio, pois nenhuma escuridão tem a força para ofuscar o seu brilho, salvo se for da sua vontade.
           
E se você entrar na escuridão compreenda que acender a luz dependerá exclusivamente de você, pela vontade e usufruto do livre arbítrio, mas compreenda-se que para acender novamente a luz e dela poder iluminar-se e se abrigando no blecaute das trevas, será importante que busque o auxilio dos irmãos, seja na doutrina religiosa que lhe for confortável, no familiar amado, nos amigos de verdade e acima de tudo na luz maior, Nosso Deus.

Nosso Pai jamais o abandonará às trevas, sempre irá acenar com o brilho do seu amor e de sua misericórdia divina, como compreende as nossas fraquezas quando apagamos nosso brilho. E da mesma forma que entramos nas trevas, podemos sair em busca da luz e com a certeza que seremos amparados sempre, basta disciplinar e acender a chama da fé e do querer.

Podem os irmãos ao ler este afirmar ser cômodo falar, pois a pratica é oposta, por isso pergunto: Será mesmo difícil buscar a fé através da luz? As bênçãos simplesmente caem sobre nossas cabeças como num passo de magica ou devemos buscar pela própria vontade? De certo que nossos pensamentos e sentimentos conduzirão onde estaremos.

Dr. Bezerra de Menezes.