segunda-feira, 11 de março de 2013

Seja Rico de verdade




            Se levantarmos junto aos amigos do planeta, qual seu maior desejo enquanto vida material se manter, de certo a riqueza material estará presente entre os mais desejáveis por todos os amigos, principalmente no que tange aos valores pecuniários.

            Será que estão errados nesse desejo? Evidente que não. Mas devemos ter em nossa consciência que riqueza material nada mais é que uma escolha de cada irmão na transcendência da programação da vida espiritual para a encarnação na vida material. Ao que muitos irmãos possam desconhecer que ao vir, dentro do nosso merecimento, temos a faculdade de escolher as condições que habitaremos o planeta material.

            O que os irmãos podem desconhecer momentaneamente que a riqueza material em muitas circunstancia podem desfavorecer o verdadeiro proposito da encarnação, da missão a que é proposto no planeta e muitos se perdem pelo vazio espiritual que muitas vezes ocorrem em nome da vaidade e do orgulho que muito comum se entrelaçar por estas riquezas momentâneas. Não que todos os irmãos que detém o mínimo das posses materiais estejam isentos de se perderem, porque tudo dependente da nossa vontade e de onde definiremos nossas ações.
           
A simplicidade, a humildade são as condições maiores da vida de um irmão, é a joia que não escolhe riqueza ou pobreza, ela é um bem que circula por todos os cantos e condição social, mas tê-la em nossa existência pode parecer simples, mas não são irmãos. Evidente que o cotidiano, o consumismo que os irmãos se entregam neste planeta pode encantar muitos irmãos e transformar num abismo sem precedente na missão em que se desdenha em muitos casos. A joia de ser simples e humilde nada mais é que a forma de se valer em Jesus Cristo nos nossos corações, é aceitar tudo o que lhe é proposto pelo criador, valorizar e abençoar. Pode-se caminhar para a busca da riqueza material, mas sem deixar de perder a maior riqueza espiritual.

Aceitar tudo que o Pai nos oferece é aceitar a própria salvação, pois ele é o Onipotente que compreende a necessidade de cada um para salvar-se e habitar em seu reino, mas o que muitos irmãos demoram a entender é os sinais e os propósitos, seja na pobreza material quanto na riqueza material. Por isso o que devemos entender são as formulas e as experiência que devemos vivenciar para viver toda a acústica do existir.

Devemos enriquecer com as obras de Deus para nossas vidas, ser rico na simplicidade, na humildade, no trato com nossos semelhantes são as maiores riquezas que devemos nos preocupar, são elas que realmente preenche toda a existência do ser e nas condições e o extrato verdadeiro das nossas somas mais valiosas. Riqueza material é apenas uma condição que jamais nos acompanhará no Reino de nosso Pai, ficará perpetuando no planeta e muitas vezes destruindo a existência de outros irmãos, pois quanto mais há o acumulo de riquezas materiais mais chance haverá do mal imperar na vida daqueles que seguem sua caminhada de evolução, como também as riquezas materiais não valerão de nada se nossos queridos se perderem neste pântano pronto a nos sucumbir para o mal.

Alegre-se sempre pela riqueza da vida, viva o ouro da luz reluzente em nosso diário da existência, preencha com riqueza onde houver a pobreza existencial, a riqueza de Deus vive gratuitamente ao nosso redor. As consequências de ter esta riqueza são as maiores conquista do ser, o que vier a mais no plano material será apenas uma condição passageira e também perecível na Terra. E jamais se esqueça de distribuir esta riqueza, lembre-se do exemplo daquele homem em que Cristo lhe pediu para desfazer de toda sua riqueza e distribui-la aos pobres e segui-lo para a salvação, no entanto este preferiu manter-se na pobreza existencial, na ganancia dos seus ouros que se se esvai com o tempo e a oportunidade de seguir com mestre na alegria do ser, perde-se com tempo e quanto tempo a mais será necessário para recuperar o tempo perdido? Por isso irmãos, aproveitem e vamos ao chamamento de Cristo.

Dr. Bezerra de Menezes


            

Nenhum comentário:

Postar um comentário