quinta-feira, 21 de março de 2013

Da simplicidade de Cristo para a riqueza da alma



            A singularidade dos passos e da existência do Messias diante da humanidade traz conosco a necessidade de simplificar nossa vida em prol de uma riqueza muito maior que a riqueza material, a riqueza do espirito.             A riqueza do espirito está em transportar para nossas ações e principalmente para com nossos semelhantes, à dadiva de semear a simplicidade e a humildade como forma de celebrar a joia mais preciosa, a do amor incondicional.

            Não precisou o Mestre sentar-se em ouro e em joias da matéria para poder explanar a riqueza da salvação impetrada em nossa alma para distribui-la despreocupado com o faltar ou extinguir, mas se a vontade seja essa realmente vai se extinguir. Queridos irmãos, quando temos a abundancia de um bem que não se deteriora com o tempo ou por dividir, pois quanto mais doarmos, mais acumulo teremos para que jamais nos falte.

            Devemos sim apreciar os bens materiais como forma de simbolizar uma doação singela, afinal, também podemos ofertar o melhor de nós em homenagem a Jesus, onde os grandes templos edificados produzem. Devemos entender o templo maior é o da nossa alma, pois não haverá a suntuosidade das paredes de ouros e dos cálices de diamante e dos pisos de mármores que fará da nossa existência o palco da salvação do ser, não irmãos, a materialidade magnifica não traduz a essência de Cristo entre nós, ele que explanava sentando na singularidade das rochas, nas vestes modestas a apresentar o melhor e quere-lo a todos.

            Inundem-se  de riqueza as praticas e ações do seu espirito irmãos, a Terra é penas uma passagem, a vida real é a que eternamente dividiremos com o mundo real da espiritualidade, no planeta passamos para crescer e nos credenciar a entrada ao Reino em todo amor e harmonia, e se sua vontade será de entrar no Reino de Deus juntamente com aqueles que mais amam, enriqueça dos bens mais importantes e reparta-o sem medo de ser feliz.

            A riqueza do ser está na simplicidade, na humildade, na compreensão, na felicidade, na alegria, na espontaneidade alegre, na tolerância, no desprendimento da matéria e juntando todas estas riquezas é que realmente estaremos todos preparados a viver a maior das riquezas, a grandeza da existência no amor do Pai.

            Dr. Bezerra de Menezes
            

Nenhum comentário:

Postar um comentário