quinta-feira, 14 de março de 2013

Amar para não ser amado



               
                O desprendimento é uma virtude dos grandes espíritos em tarefa de paz, amor e abnegação da vaidade e do próprio reconhecimento para com o bem.

                Todos os irmãos encarnados possui um guia que o acompanha desde a programação no mundo espiritual para os desafios da vida material, tão importante quanto os desafios de viver a acústica do bem próprio. Desde que nos aconchegamos no amor de nossa progenitora onde tudo começa a se formar para um novo recomeço, uns irmãos vem pela primeira vez e muitos outros voltam, pois a renovação da vida que é nossa principal caminhada na existência.

                Temos os nossos ditos, anjos da guarda, ou quem preferir nosso guia, guru, amigo, que nos protege e nos ampara e busca de toda forma nos colocar no pedestal do bem, infelizmente muitos ignoram sua presença, mas para eles não há importância, pois ele estará sempre ao nosso lado, mesmo que desejamos afasta-lo. Muitos não sabem o nome daquele que o protege, mas para nossos mentores não tem a importância, ao contrario de nós quando damos e temos a necessidade de saber quem esta ao nosso lado os irmãos que nos aproxima. Podemos identifica-los da forma melhor que nos convenie isto é amor sem precedentes, amor sem qualquer expectativa de reconhecimento.

                Quantos anjos encarnados também há a nossa volta e não observamos com tamanha atenção, ao começar no seio de nosso lar, na pessoa da nossa progenitora que tanto faz para caminharmos no rumo de Deus na seara magnifica do bem. Temos também os anjos que nos apresenta de varias formas, inclusive em forma dos animais, tão singelos, simples, amigo, que nos ama de uma forma grandiosa, não nos guarda magoas quando de muitos os agredimos injustamente, onde espera muito pouco de nós, apenas o essencial para poder viver e continuar nos amando intensamente.

                O amor meus amigos é a chispa da luz eterna e nela grava os sentimentos imperecíveis da alma, onde nada e nem o mal poderá arrancar, amar não há precedentes e muito menos fronteiras que limita sua entrada em nossas vidas e de nossos semelhantes, não espere amar com a certeza da reciprocidade, ao contrario, amar é o espinho da bela rosa que apresenta suas belas formas e perfumes, que dura tão pouco e restarão apenas os espinhos, mas devemos esquecê-los e viver intensamente o veludo e o perfume do amor que ela nos proporciona.
               
                Ame sem esperar nada em recompensa, pois desta forma estaremos nos espelhando no Onipotente que tanto nos faz rosas, mas muitas vezes o retribuímos com nossos espinhos afiados.
               
                Dr. Bezerra de Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário