segunda-feira, 18 de março de 2013

A mediunidade a serviço da disciplina




            A mediunidade ao longo do tempo vem sendo discutido e sem duvidas um paradigma para muitos irmãos descrentes das obras divinas e também como a obra de obediência ao nosso senhor Jesus.

            A verdadeira mediunidade irmãos, não se priva unicamente com exclusividade a doutrina espirita, hoje como o instrumento direito da comunicação entre os dois mundos, todos tem mediunidade, sendo que uns desenvolve outros não. O chamamento da interlocução entre a espiritualidade e o mundo planetário a alguns irmãos é a confiança e a organização de transportar o discernimento da verdadeira condução da vida.

            Quem desenvolve a espiritualidade através da mediunidade trará consigo a responsabilidade de se fazer espelho e exemplo para aqueles que o procura para iluminar o próprio caminho. O médium jamais poderá usar das suas atribuições mediúnicas para ludibriar e muito menos transformar sua tarefa em emprego ou formas de barganhar vantagens econômicas, como também abusar da confiança alheia para seu deleite pessoal.

            O discípulo de Cristo não se limita a espiritualidade doutrinaria esta em todas as formas do respeitar as leis do criador transpassada e discorrida pelo nosso amado, Jesus Cristo, através do código divino e os exemplos bastante presente em nosso dia a dia.

            O chamamento para os trabalhos espirituais, não furtará ao escolhido em suas obrigações para com a matéria, ou seja, no planeta os discípulos do evangelho de Cristo devem cumprir o resgate para com sua evolução, como bem para com seu semelhante e a ordem a que lhe proposto dentro da proporção que lhe é peculiar e justo dentro do proposito divino.

            Ser médium e trabalhar a serviço do mundo espiritual não é um titulo ou uma vontade de querer ser simplesmente pelo fato de querer. Como já dito, todos tem mediunidade, que são interpretadas de diversas formas, como intuição, sexto sentido enfim, a nomenclatura é menos relevante, mas quem se dispõe a trabalhar com afinco, deve está preparado para uma única regra, disciplina; mais importante do que propriamente ter a confiança dos trabalhos; viver na acústica de transcender o bem que diretamente vai de confronto contra as pretensões do mal, que a todo instante trabalha contra o princípio divino e encaram os agentes do bem como adversário ferrenho, onde que, a mediunidade e a disciplina serão determinantes para o confronto e a aquisição do patrimônio das armas do bem contra a perversidade e o mal ardiloso. A luz superior.

            O trabalho a serviço de Cristo não será uma tarefa fácil, os desafios e as tentações serão grandes, a exemplo do próprio Mestre, que sofrera a todo instante, principalmente quando ia de encontro aos interesses dos povos que dominavam a grande massa, os Fariseus e os Saduceus. O médium deve se fazer Cristo em toda sua existência e viver em alerta constante, e principalmente está preparado para ser chicoteado e crucificado injustamente como Jesus, mas com coração preparado para perdoar os algozes e entender como Cristo que quem acusa e blasfema contra o bem maior não sabe o que faz.

Pois ainda há muitos povos e irmãos que não estão preparados para viver Cristo e muito menos preparados para a sua vinda, pois ainda há muitos são capazes de achincalhar irmãos que vivem a serviço do bem e o que dirá do Mestre em sua volta? Estamos preparados? Respondam esta pergunta dentro do seu coração, quando desdenha o seu próximo se este pratica o bem; pois muitos já desdenham a própria obra de Cristo desde sua passagem ao planeta até o presente momento. E será que realmente amamos uns ao outros, como nós nos amamos?

Dr. Bezerra de Menezes.
           

             

Nenhum comentário:

Postar um comentário