sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A agua da paciência


            O planeta esta sobrecarregado de forças destrutivas provocadas pelo esforço pessoal de cada irmão no caldeirão da luxuria, da soberba, do consumismo desenfreado em busca de confortos que muitas vezes não vem, quando estes são escravizados pela vaidade e do orgulho de querer se mostrar para outrem.

            Vemos muitos irmãos desiludidos na vida planetária sem qualquer incentivo de se modificar dos quadros depressivos que muitos se afundam, estas situações é fruto da lei que sempre nos acompanhará; Ação e Reação; quando não andamos satisfeitos e não valorizamos o que conquistamos até a real situação, realmente não há como o resultado ser outro, a frustração pessoal. Melhorar materialmente é muito louvável e abençoado pelo nosso criador, tudo que adquirimos deve partir do esforço pessoal por meio das atividades pelo trabalho.

            Saber agradecer é a condição de equilíbrio que podemos alçar em nosso ego onde muitas vezes afetado pela cólera que criamos em nosso ser. Não alcançaremos o ápice da montanha se não começarmos pela base que ela se inicia, começando pelo caminho mais fácil até atingir a complexidade da nossa busca.

            A busca do equilíbrio deve ser como a água, tão singela, transparente e essencial para a vida, o curso da sua nascente até o exercício em que se propõe é um caminho corrente que a mesma deve percorrer, com o andar natural e a velocidade própria, sem pressa, sem afobação, pois sabe que alcançará o objetivo final.

            Sejamos irmãos, pacientes como a água, visando o curso natural da vida como uma passagem que vem desde a nascente até alcançar o verdadeiro sentido em que ela nos proporciona. Nascemos da vontade do criador que nos coloca no curso para cumprir nossa missão e sabendo agradecer a cada partícula que podemos desfrutar de cada importância que temos para o coletivo da existência, partindo do beneficio pessoal para o oceano da convivência rumo ao destino final, o Reino de Nosso Pai.

            Dr. Bezerra de Menezes
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário