quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Sejamos portas abertas



            O que de pratico tem sido feito para cumprir a missão na matéria? Não é para os seus que deve responder esta pergunta e sim para você mesmo. Fazer o bem não é apenas amenizar certos apuros com suprimentos momentâneos, claro que muitas vezes ou quase a todo instante vamos deparar com pessoas que necessitam do auxilio no instante da queda.

            A pratica do bem esta a cada despertar e tatuado no coração, no bom humor aos que rodeia na saudação das bênçãos e criações de nosso Pai, como a vida, e também estarmos qualificados a ser porto seguro daqueles irmãos que necessitam do nosso amparo.

            Quem nunca passou por dificuldades e custou a encontrar uma mão amiga para segurar e auxiliar no reerguimento, infelizmente muitas vezes demorou a encontrar alguém para ajudar, o que não justifica prendermos no mal ao qual muitas vezes nos deparamos e é apresentado.

            Devemos deixar a porta do nosso coração e da nossa assistência sempre abertas para aqueles que batem, apenas para abrigar-se a um aconchego e a um conforto do ser, nas boas praticas do amor e na sensibilidade em amparar e amenizar os sofrimentos alheios. Temos que ser portas abertas através de uma palavra reconfortadora, de um abraço sincero, de um ouvido irmão, em segurar as mãos a quem nos estende.

            Julgamentos quanto aos comportamentos peculiares, deixemos para a própria consciência do ser, afinal, quem esta imune de ter certos comportamentos desagradáveis aos olhos do seu semelhante. Abram as portas e jamais desanime se quem entrar bagunçar o seu interior, neste caso, limpe o mal e esteja sempre pronto a novamente abri-la e receber novos inquilinos.

            Dr. Bezerra de Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário