quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Nem todo fruto se perde



            É muito bonito irmos a um ambiente e escolher o fruto mais bonito na sua casca, acreditamos que estão melhores sadios e prontos para o consumo. E quando colocamos numa fruteira deixamos a disposição para quando desejarmos seu consumo. Com passar dos dias a mesma começa a apresentar defeitos e parte deste fruto começa se perder e a estragar. Alguns jogarão tudo fora e alguns poderão aproveitar a melhor parte.

            Identificamo-nos neste fruto irmãos, quando iniciamos o contato com outros irmãos, temos a nossa visão como frente dos nossos conceitos e buscamos primeiramente visualizar a casca do irmão, com passar do tempo vamos conhecendo melhor, mas se alguma parte começa a parecer perdida, de imediato muitos descartam e não dando a oportunidade de conhecer o melhor e extrair o melhor do irmão.

            Engana-se que esta visão apenas havemos de ter de nossos irmãos, há quem também nos vê como frutos. A realidade que temos os dois lados, a melhor parte e também aquela parte que se deteriora, o importante é acreditar em si próprio e mostrar que nem todo fruto é perdido, mesmo havendo parte nela que esteja ruim.  Para isto é necessário tirar o mal e manter a melhor parte para de todo ser consumido.

            Nem sempre a casca exterior responde pelo real conteúdo interior.

            Dr. Bezerra de Menezes

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário