segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Não nos deixe cair em tentação




            Com este pedido que praticamente encerramos a oração que o senhor nos ensinou, o mundo carrega o pecado com bastante assiduidade nos corações, as nações e boa parte da população mundial. De certo que carregamos dentro da nossa vida terrena a metade boa e mal, infelizmente faz parte dos seres carregar o ultimo.

            Isto também não justifica carregamos e comungar com uma vertente, afinal, porque nos fora enviado o Messias? Para salvar nossos pecados. Não é fácil e muito menos simples livrarmos de câncer tão maligno, mas podemos sim modificar nossos pensamentos e ações. O buraco existe, ele pode levar a quedas e mesmo a liquidação da vida terrena, mas se tomarmos cuidado, não caímos.  Assim é o pecado irmãos, um grande buraco pronto a nos consumir, existir ele existe, mas esta lá parado, agora se formos a busca dele, pronto, desabamos.

            Quando pedimos ao altíssimo para não nos deixar cair em tentação, certamente o Maior nos dará todas as condições de nos livrarmos dele, agora se a nossa parte não for correspondida, simplesmente este pedido torna-se sem qualquer efeito. A tentação do pecado cravado em muitas vertentes nos consome a vida existencial terrena e espiritual, incrivelmente muitos creditam a pratica do pecado como corriqueiro e normal e com o pensamento de somente pedir perdão receberemos a remissão. Engana-se.

            Evidentemente que todos podem se arrepender dos pecados, pedir perdão e ser conduzido a vida eterna, claro que a pratica não nos colocara de imediato às dependências do Reino desejado, necessitaremos de muitas experiências e renuncia do mal em nossa vida para a salvação. Quem deixa de acreditar na própria mudança, na reforma intima, quem mais poderá acreditar?

            Pedimos ao pai que nos livre do pecado e da tentação e nos de as ferramentas necessárias para isto, pois o restante é conosco. E sigamos o dito do Mestre a Madalena, vás e não peques mais.

            Dr. Bezerra de Menezes

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário