quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

As chagas da Salvação




            Após condenado por Pilatos Jesus surrado, machucado, humilhado é levado ao seu calvário pelos guardas romanos, sua cruz pesa e o mestre humilde e silencioso, sem nenhum rancor aceita sua condenação e após a via crucis escuta o achincalhamento daqueles ao qual levou a boa nova, curou os enfermos, ressuscitou os mortos e sem desejar qualquer revanche a aqueles que por ingratidão o sentenciaram a morte.

            Cada chaga do mestre aberta pelos nossos pecados ao proposito de salvar-nos do pecado, não foram e nunca poderá ser considerado em vão, mesmo que a humanidade ainda se perca na vastidão dos males e do pecado arrebatador das almas.

            Sejamos justos ao sacrifício feito pelo Mestre que pediu ao Pai para nos perdoar dos nossos pecados, pois não sabíamos o que fazia, façamos deste pedido nosso compromisso de mudança, quantos anos ele pediu e pede ao Maior o perdão das nossas fraquezas.

            Carreguemos as chagas de Cristo na certeza da nossa metamorfose para bem, vamos fazer da nossa existência merecedora da misericórdia do Pai, não entreguemos nossa existência a cruz fria e mortal, por isso desça, desfaça dos pregos dos pecados que condena nossa alma, retire as coroas de espinhos das nossas cabeças que tanto machucam e dilaceram o espírito e a consciência e nos coloquemos a presença de Deus com a grandeza do bem.

            As tentações do mal não serão páreos a nos perder se não for da nossa vontade.

            Dr. Bezerra de Menezes
           

            

Nenhum comentário:

Postar um comentário