segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Certeza da fé



Aos pés do Senhor, Maria escutava a sua palavra. Lucas.


Ao se posicionar no grande altar da vida, eis que a segurança do sentido de fazer a vontade do Senhor mescla com a liberdade própria de agir e pensar que são os comportamentos que elevam ou mesmo estagnam a evolução individual.

O planeta é o grande laboratório da existência e a grande escola do futuro e das merecidas conquistas, a encarnação presente traz a máxima da oportunidade de resgatar determinados débitos e com eles afastar as possibilidades de retroagir no progresso. Nenhum irmão retroage na evolução, apenas acumula dividas comportamentais. A defasagem da caridade moral e social condiz com a realidade presente em muitos irmãos desde o inicio da historia, são conhecimentos errôneos que foram adquiridos ao longo da existência e que afastam os homens da mais pura e verdadeira religião, o respeito, as rotulagens doutrinárias presentes na vida em sociedade se propõem a divulgar e estudar o evangelho de Jesus, o maior e mais iluminado espirito entre nós, mas muitos irmãos destoam da verdadeira passagem das parábolas e epístolas e são interpretadas com o intuito de ludibriar uma vasta massa de desconhecedores da palavra.

Vemos com muita fartura variados sacerdotes que destoa a palavra de Deus, como também comprovada pela historia da humanidade que ao longo do progresso do homem e por interesses quase em sua magnitude sórdidos usurpam do código divino para se posicionar num determinado trono que se julgam superiores.

É muito importante o estudo do evangelho, mas a colheita deve sempre prezar pelo respeito, que é a maior religião entre nós, sem essa máxima não há como absorver o melhor de Jesus exposta entre nós, o sentido da pregação jamais deve ser usada para menosprezar qualquer forma de se buscar a salvação, não há sentido certo ou errado, o que há de verdade é o caminho do reino e que para se chegar até o final haverá muitas moradas, mas havendo sempre de imperar o este sentido respeitoso entre os povos.

Havemos de respeitar os inúmeros sacerdotes diversificados nas mais variadas casas de amor, aqueles que realmente propõem-se a agir em nome do Mestre sabe que os desafios são inúmeros, os obstáculos cada vez mais difíceis, pois o caminho das pedras do bem atravessa diversas escaladas e com ela muito trabalho, suor e sangue energizado na vontade de crescer, cada pedra que se conquista nesta montanha é fruto da recompensa legitima do verdadeiro merecimento. Na pregação do evangelho se extrai imensos ensinamentos para o bem, mas o estudo das obras do Senhor não deve se limitar as paredes religiosas, deve ser expandida para todo o universo e do comportamento e nas ações da verdadeira doutrina, o respeito emanado do amor e da caridade e sempre tatuado a força da fé que jamais deverá perder pelo caminho.

Podemos perder o contato com nossos irmãos mais amados ao longo da jornada evolutiva, a ida e vinda de irmãos presentes em nossas vidas são consequências do grande ciclo e dos mistérios de Deus, há os que vivem conosco em um determinado período e de repente por situações fortuitas são levadas ao afastamento de nossa presença, verdade essa que ocorre nos dois mundos, onde a saudade permanecerá imaculada em nossas almas, o sentimento nostálgico vem para nos dizer que aquele irmão ou irmã realmente se fez importante em nossa evolução e que a memoria e toda a existência destes amados anjos sem asas credencia-nos a fazer e sermos melhores a cada momento, não importando o grau de sabedoria e situações adversas existentes no altar do coração e sim as beneficia de alegria e bem estar que estes proporcionam a todos nós em nossas lembranças.

Jamais há de revoltar-se contra Deus pelo afastamento temporário de nossos amados, a tristeza vem, o choro cai e a saudade eterna permanece e a melhor homenagem é a máxima do bem daquele com o nosso e credenciar o nosso universo unido a grande máxima do Senhor no seu evangelho, pois a palavra do Senhor vem justamente para unir todas as riquezas para praticarmos o genuíno bem divino, evidente com a força e o preparo da paciência e da tolerância frente aos desafios dos males que são a máxima da força que temos contra as pretensões do inimigo.

A fé em muitos instantes pode ser abalada por diversas situações, o fraquejar da esperança é iminente principalmente quando os obstáculos submersa a alma nos sentimentos mais nocivos, como a mentira, a omissão, os rancores, o ódio bem como a preguiça e a falta de vontade para vencer e superar o próprio adversário, afinal, muitos irmãos são adversários de si mesmo e não vitimas de uma força oculta imaginaria. A pouca ou escassa fé da certeza do amor e da obra divina e a ansiedade por não respeitar o tempo certo para todas as coisas faz com que a vida desande pelo imenso norte. Mas quando a certeza da fé é imaculada na alma mesmo que em alguns momentos ela seja questionada, logo Nosso Senhor dará todas as razões dela permanecer concretizada e rica em nossa razão.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos. 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

A Verdadeira e Maior das Riquezas


Alegrai-vos e exultai, porque grande será a vossa recompensa nos céus. Jesus.


            Caminhar na estrada do bem com o proposito das boas colheitas como a felicidade, amor e as benevolências divinas não serão algo conquistado simplesmente pela vontade. O querer, os objetivos serão alcançados com muito trabalho e a resistência do mal em suas diversas ofertas a querer perder as ovelhas do Senhor pelos vales da sombra e da morte.

            Nosso querido e amado Senhor Jesus Cristo conforme as escrituras atravessou seu tempo terreno com muitas desconfianças, fora perseguido pelos poderosos, mas amado pelos pobres e excluídos daquele tempo que com os corações livres do orgulho e da vaidade imperial que dominavam os doutores da lei e os sacerdotes do templo, pois tinham o coração puro e conseguira ver no Senhor a salvação de todos os seus pecados.

            Mesmo livres dos pecados, curados pelo Cristo, muitos ainda sofreram com as perseguições desses poderosos que não aceitava Jesus como o Messias por ele ser de família humilde e não ostentar as riquezas materiais que eram cobiçadas pelo ego iminente de suas vidas, onde acreditavam que esses bens eram as prova de um poder divino. O Homem de Nazaré ensinou e mostrou a todos nós que a maior riqueza celestial não esta palpável entre as mãos, é algo impossível de se vê a olho nu, mas totalmente visível à alma, claro para aquelas que permitir enxergar, pois em muitos momentos fazemo-nos cegos para a grandeza do Senhor diante de nós e desprezamos a oferta divina, afinal, em muitos momentos se crê assim como os Saduceus e Fariseus que o brilho reluzente das joias é resultado de uma felicidade e de uma graça e desprezamos as singularidades das obras de Deus.

            A desacerbada visão sobre uma determinada riqueza confundida entre matéria e espiritualidade traz em muitos momentos da caminhada terrena a frustração           na plenitude das realizações almejadas, realidade essa presente nos lares das diversificadas famílias que não conseguem encontrar o equilíbrio para sua caminhada, ou seja, não conseguem nivelar a uma posição solida em busca da real felicidade e a clareza para suas pretensões, a busca pelo acumulo das riquezas perecíveis traz em muitos momentos da ação e do sentimento a deslealdade dessa conquista, onde para obter determinadas riquezas muitos usa de instrumentos perversos do mal, como a mentira, a competitividade covarde onde buscam atropelar o respeito para adquirir e ter vantagens diante da destruição de seus semelhantes e usam artificieis para ludibriar irmãos, perde-los pela vastidão do sofrimento e das dores, e com essas atitudes o abismo espiritual contaminando a alma pelo pecado e quando se apresentar diante do Pai nada de construção poderá fazer-se advogado para defendê-lo da justiça celeste.

            Em nenhum momento será considerado crime contra as leis de Deus a busca da riqueza material e seu conforto proporcional, Nosso Amado Pai quer que tenhamos todo seu universo, mas sem esquecermo-nos da maior fortuna, o bem estar do espírito, esse capaz de fazer compreender toda obra e visualizar a existência como um dom sagrado para a felicidade plena, mas para isto se faz necessário desapropria-se das armas do orgulho e da vaidade, esses sentimentos que crucificaram o Mestre.
Irmãos, a caminhada não é fácil, pelo contrario, muito mais desafiador do que muitos imaginam, pois os artífices do mal ainda imperam sobre a vida de muitos e sobre a alma como esses sentimentos nocivos já expressados e apaga-lo de nossa vida poderá levar muitas novas vidas do espírito para poder merecer o reino de Deus, como nosso Amado Jesus disse: “para merecer o reino será necessário o homem renascer novamente”.

Diante da realidade irmãos, busque a partir do conhecimento divino acessível a todos, a reforma interior para encurtar o caminho a Deus, e para isso será preciso vontade, disciplina e coragem, pois se o desejo real for caminhar na estrada do Pai, saiba que ele designará seus anjos a nos amparar e a guiar-nos para o bem e o Pai claro, estará sempre conosco nos impulsionando para seguir em frente devastando todas as arestas malignas e iluminando todas as nossas escuridões para vencer os males de nós mesmos.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Grande Banquete da Felicidade




Tenho para mim que os sofrimentos da vida presente não tem comparação alguma, com a gloria futura que se manifestará em nós. Romanos. 8,18.


             Há muitos que dizem que nenhuma folha cai de uma árvore sem a vontade de Deus, de certo que tudo pelo tempo natural é da manifestação do Onipotente, mas havemos de lembrar que em quase todas as ações o homem tem interferido com veemência nas decisões e agindo contra a vontade do criador, esses comportamentos avançam por milênios e aqueles que realmente obedecem aos desígnios e o tempo do Senhor tem avançado no seu progresso existencial e tendo a graça de evoluir no tempo.

            Quando arrancar a folha da árvore sem o respeito ao tempo do plano natural interrompe-se o tempo determinado para o progresso alheio, situação real que ocorre no tempo evolutivo daqueles que estagiam no planeta com o proposito de saldar dividas e adquirir riquezas da alma para elevar-se no universo natural da existência.

            Todos os seres vivos sejam orgânicos e inorgânicos tem sua importante contribuição no ciclo vital, o oxigênio expelido, os sais minerais exalados, a sombra ofertada, a luz acesa, o alimento apropriado e a espiritualidade vivida traz a dinâmica que toda a funcionalidade planetária é fundamental para que haja sempre o renovar da vida e da existência, é preciso muito para trabalhar e prosperar basta vontade e boas ações.

            Há irmãos que para serem felizes se apossam de propriedades materiais e com o proposito de conquistar um bem estar, este progresso é viável desde que os princípios do bem estejam no altar do coração e da vida que lhe permite exaltar o respeito e a lealdade com a confiança divina, o progresso honesto do desenvolvimento material pode se equiparar a evolução da alma, onde através do trabalho e da força de vontade individual alcança-se o objetivo desejado.

            Ao contrario dos bens materiais, na evolução espiritual o irmão deverá despojar-se da vaidade e do orgulho, sentimentos que imperam no ego na aquisição de suas riquezas perecíveis, mas totalmente nocivo à evolução espiritual.

O progresso espiritual deve começar na escola planetária, onde o orgulho deve ser substituído pela humildade das ações, sentimento que jamais deverá ser equiparado a situações vexatórias, ou seja, ser humilde não é deixar-se humilhar pelo outro, ao contrario, é reconhecer as fraquezas pessoais e alheias, os erros mútuos e com eles trabalhar e evoluir, equilibrando-se na subida da salvação.

O caminho é longo e os desafios constantes, as quedas uma realidade, a resistência uma conquista e o resultado o merecimento, neste norte que as consequências futuras das ações ocuparão o grande ciclo da vida, nenhuma ação é esquecida ou desprezada, quando se interrompe o tempo natural de Deus pela vontade pessoal da destruição seja na magnitude proposta, a responsabilidade para reparar os erros que em muitos momentos são conscientes serão deduzidas na bagagem individual. De certo que as fraquezas são múltiplas, pois não há um irmão planetário e mesmo os habitantes das colônias espirituais que não tem suas fraquezas, até o mais desenvolvido espirito precisa parar e respirar em busca da sua progressão evolutiva.

Não há como equiparar Deus com as fraquezas humanas em seu vasto oceano de pecados e exageros, os erros cometidos em vários instantes da historia é a referencia mais significativa que a vontade de Deus e dos homens são diferenciadas e separadas pelo que são verdadeiras, as sanções dos homens devem ser mais temidas que a justiça divina, Deus compreende a cada um e busca proporcionar dentro da sua graça e da misericórdia a colheita devida na aplicação de sua justiça, ao contrario dos homens que em quase sua máxima pune seus semelhantes sem a medida necessária de compaixão e justa defesa, além de muitos ainda conseguirem ver qualidade em Judas e erros em Jesus.

A todo instante somos convidados para a ceia do Senhor no seu amor e na sua misericórdia, tendo a felicidade como o ingrediente principal, mas se ao sentarmos a mesa levando os piores venenos e não desfazermos deles dificultará há comunhão e a graça divina da absolvição da morte agonizante. Agora se de posse destas ervas daninhas a vontade for de esmaga-la e aceitar a água divina da purificação mesmo que a limpeza e as sujidades impregnadas pelo pecado demorarem a sair e se for necessária várias etapas para a renovação da vida, não reclame e não se revolte com o tempo de Deus, pois é o tempo necessário que o amado Pai entende ser preciso para merecer fazer parte do grande banquete da felicidade.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos. 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Merecer o céu vai além da vontade


Quem nos separará do amor de Cristo? O sofrimento, a angustia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? Romanos. 8,35.

            Alfredo era um fazendeiro muito rico do interior de Minas Gerais, era um homem austero, implacável, autoritário e muito poderoso na cidade onde era morador. Uma peculiaridade fazia parte deste homem, toda a manhã assim como as noites fazia suas orações e rezava sempre o Pai Nosso. Não perdia uma missa sequer nas manhas de domingo e se orgulhava quando era saudado por todos os presentes, o que aumentava ainda mais sua vaidade e seu ego, principalmente porque sabia que boa parte daquelas pessoas o temia.

            Era um homem que oferecia muitas oportunidades aos moradores, mas trabalhar para ele era verdadeiramente um desafio da tolerância e do exercício da humildade, pois não se rogava a ofender e tratar com desrespeito todos que o auxiliava. Perseguia desafetos e aqueles que o desafiavam, independente da condição do seu afrontador, arrasava a vida de seus oponentes sem qualquer piedade, os que faziam algo contrario a sua ordem ou errava qualquer atividade era mandando embora sem qualquer consideração e inclusive sem pagar pelo serviço, pois era um homem temido.

            Algumas pessoas que praticava a caridade na cidade iam até ele, mas eram destratados por Alfredo que dizia que pobre não merecia consideração e se estavam na condição em que se encontravam era por que fizeram por onde e não mereciam sua consideração. Segundo ele ajudava somente na igreja porque Deus o recompensaria no reino por suas generosas ofertas.

            Era um homem que vivia sozinho e nas noites silenciosas em sua fazenda ficava na varanda fumando e pensando nas suas posses e olhando para o céu imaginando que quando desencarnasse seria recebido com louvor pelos anjos, pois contribuía para a igreja e após algumas horas fechava a porta, ia para quarto, fazia a oração do Pai Nosso e adormecia. Levanta bem cedo, repetia a oração e desjejuava com os quitutes que sua cozinheira preparava e ia para o trabalho na fazenda, não cumprimentava nenhum empregado e logo já reclamava algo com sua austeridade peculiar.

            Num determinado dia de trabalho Alfredo tem um mal súbito e morre sem ter qualquer possibilidade de socorro, a sensação de alivio para muitos na cidade e tristeza para poucos que ainda o considerava, uma irmã que morava na cidade cuidou de todo seu funeral e quem herdou suas terras, pois não possuía herdeiros de seu sangue.

            No plano espiritual Alfredo acorda numa dimensão sombria e aterrorizante com pessoas olhando para si e com raiva e o encarava com desafio, amedrontado não enfrentava, estava bastante confuso e uma forte dor tomava conta de seu peito e de sua cabeça que o deixava sem forças, algumas pessoas aproximavam dele e jogava agua suja, desenhavam e zombavam de sua dor, deixando-o mais confuso, pois as dores eram permanentes e não encontrava meios para sanar sua enfermidade. Em alguns momentos de lucidez ia até um lago imundo cessar sua sede e logo era expulso, o juntavam várias pessoas para escarrar de sua pessoa e ao qual corria para fendas a fim de se esconder da perseguição. Quando via que não tinha ninguém saía e ia à busca de uma explicação e todos que ele abordava não o davam atenção, era um ambiente escuro como as noites silenciosas que ele sempre se encontrava.

            Estava sozinho e com medo, aquele homem temido por todos agora era um homem medroso e covarde, por muito tempo sua confusão existencial tomou conta de si e o fez agonizar por muitos anos num lugar sem esperança e sem novidades, a paisagem permanecia aterrorizante e sem vida e as dores do peito e da cabeça permanecia a consumir sua razão e por vários momentos o choro e a depressão tomara conta de seu ser.

            Quando se escondia em fendas para esconder dos grupos que iam para machuca-lo via algumas pessoas desaparecendo daquele lugar levado por algumas pessoas e não sabia o que significava, pois ninguém o explicava que lugar era aquele em que estava afinal tudo aquilo era muito confuso. Em uma determinada ocasião deparou-se com um homem que fora assassinado por ele em vida porque não pagou um determinado empréstimo e com a sede de vingança esse reuniu um grupo de homens que sofrera com as mesmas consequências por outros lugares que viveram e pelo sentimento do ódio foram colocados em mundos páreos a que Alfredo se encontrava, pegaram-no e amarraram a uma árvore e lá todos os dias surravam-no sem qualquer piedade, fazendo com que seu sofrimento e a dores aumentasse cada dia mais.

            Em uma determinada ocasião, lembrou-se de Deus e começou a rezar e a pedir perdão pelo tinha praticado a aqueles homens e a outros que lembrava. O seu pedido por algum tempo fora acompanhado por mentores que avaliavam a realidade do pedido e por quanto tempo mais seria necessário aquele calvário, eis que diante da caravana surge à frente sua mãe que por muito tempo orou pela redenção de Alfredo, caído e sem quaisquer forças ela o colocou em seu colo como fazia no tempo em que era uma criança sadia e os bons samaritanos o levaram daquele lugar.

            Já na câmara de retificação era velado incansavelmente por sua mãe que acompanhara todo o processo de fortalecimento dos seus sinais vitais e no despertar a admiração ao vê-la tomou conta do seu sentimento e um choro sem contensão tomou conta de Alfredo que soluçava como uma criança desprotegida e sua mãe com toda ternura permanecia abraçada ao homem. Ao se recompor arguiu sua mãe sobre todo aquele sofrimento que passara, e ela dizia que não era o momento de voltar ao passado e sim se recuperar e que no momento certo tudo seria esclarecido, e desde então até sua saída ela não saiu de perto dele.

             Já na casa de sua mãe e recebendo todo conforto e atenção, eis que recebe do ministro do esclarecimento João a convocação para uma audiência. Acompanhado de sua mãe fora esta com aquele espírito. Ao entrar recebeu todo respeito e atenção de João e logo convidara a assentar-se nas acolchoadas poltronas que relaxava seu espírito, junto a ele varias outras pessoas também aguardava a audiência individual, todos se olhavam sem trocar uma palavra, pois ainda eram recém-chegados na colônia.

            Passaram-se algum tempo e vendo todos que iam ter com o ministro saindo tristes e chorando sendo acompanhados de seus zeladores, aumentava a sua angustia, até que chegara sua vez, entrou e o ministro João o deixara bastante a vontade e com sua suavidade colocou deitado numa espécie de uma cama que flutuava no ambiente e lendo uma passagem do código divino, começava a conversa. João orava e mostrava num painel todas as ações que ele fizera em vida, os excessos, as benfeitorias, enfim tudo passava com bastante realidade sobre sua visão e as lagrimas desabava com uma cachoeira. Nenhuma ação boa e ruim passou impune a sua consciência e tudo que passara nas zonas inferiores pôs desencarne fora esclarecido sem qualquer manifestação do ministro que o liberou apenas dizendo, “o bom da vida esta sempre nas oportunidades em aproveitar o recomeço para escrever uma nova pagina da historia”.

            Este resumo meus irmãos é oportuno a todos os irmãos encarnados e desencarnados que creem que suas realidades são uma severa imposição do Senhor, o estado mental é determinante para quase tudo em nossa existência, assim como as ações praticadas, ninguém caminha sem a própria vontade, o livre arbítrio é lei assim como as escolhas são livres, o que realmente designara a sorte é a consciência. Agora se muitos transtornos tomam conta de sua mente e as dores forem constantes, siga as orientações do humilde e iluminado ministro, “o bom da vida esta sempre nas oportunidades em aproveitar o recomeço para escrever uma nova pagina da historia”.

            Construa as pontes da vida e não as muralhas isoladas a esconder-se do mundo, seja merecedor de orações alheias, caso contrario poderá apenas contar com quem o ama de verdade e em muitos momentos aquela que lhe proporcionou à oportunidade a vida estará sempre consigo, afinal mesmo o ser sendo perverso haverá sempre alguém que realmente o ama além de Deus e quase em sua totalidade é quem lhe proporcionou a vida. Compreenda seu semelhante, adquira a tolerância e a paciência, viva o respeito que tanto exige que tenham consigo, alivie as exigências, equilibre-se para sustentar sempre o altar do bem de Cristo em seu coração, reforme suas exigências e ações. A rigorosidade moderada faz bem, pois ensina que tudo deve haver uma disciplina e obediência e lembre-se que jamais a severidade deve dar lugar ao desrespeito e a humilhação de seus semelhantes, a comunhão de Deus nasce na respeitabilidade universal.

            Quando os exageros desacerbado tomam a individualidade rogue para que a consciência tenha tempo de redimir as confusões futuras e saibam todos não basta apenas rezar para Deus crendo ser o suficiente para salvação e muito menos ofertar aos templos valores financeiros que não pertence ao reino de Deus, o que realmente será determinante é o que a consciência e o coração levarão diante do Pai.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Sentido do Girassol



Ainda que os olhos humanos tenham sido castigados, sua esperança estava cheia de imortalidade. Livro da Sabedoria. 3,4.

            Quando esteve entre os mortais Jesus não se propôs a solucionar todos os problemas da humanidade, veio para mostrar o caminho da salvação pelos seus vários exemplos e pelas vastas lições que deixou em nossos corações. E disse a todos que soa na melodia na nossa esperança “eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém irá ao Pai se não por mim”. Com esta afirmativa mostrou o que trouxe a humanidade é a estrada que devemos percorrer para alcançar o objetivo final, a salvação.

            Havemos de adotar em nossas vidas a postura do girassol a única vida que jamais dá as costas para a luz, ou seja, para o sol, este astro que ilumina todo nosso caminhar, a luz divina que afasta as trevas do caminho e mostra para onde seremos conduzidos sem o medo da escuridão. O girassol acompanha a luz para onde ela indica por isso que é o símbolo da esperança, da força e de toda a riqueza necessária para brilhar perante os olhos divinos a acender as trevas da humanidade.

            As responsabilidades que todos assumimos perante Deus, traz a máxima da qualidade efetiva do bem que devemos nos posicionar frente à realidade que vivemos. As experiências que vivenciaremos durante toda trajetória existencial será exclusivamente a nossa oportunidade de aprender a superar a nós mesmos, onde nos é apresentado o conhecimento da vaidade e do orgulho que o maligno impõe sobre nossa existência.

            Esses sentimentos do conhecimento desacerbados imperialista na humanidade é que afasta a luz da vida e dá lugar as trevas, a escuridão e a desesperança da salvação, diante deste conhecimento do maleficio é que ocorrem as guerras, as mortes, os assassinatos, os suicídios, a depressão, a raiva, o rancor, o ódio, a ingratidão, a cólera, onde irmãos atrasam sua evolução no progresso espiritual, muitos são levados a desviar sua reta e aventura-se em atalhos encantadores, mas obscuros do mal, o anti Deus na sociedade divina é o que desvia os cordeiros de Deus a retirar o pecado do mundo.

            O passado é determinante para o presente, assim como o presente é essencial para a qualidade do futuro e sua colheita prospera, quando é de conhecimento a realidade dos planos de Deus passando pelos diversos caminhos das experiências alcança-se a serenidade para resgatar todos os assuntos inacabados que devem ser preenchidos na existência.

Se os irmãos tem a oportunidade ao resgate, aproveitem ao máximo, se tem um trabalho que não é almejou, mas com ele mantem-se a dignidade agradeça e aproveite, se morar numa casa singela e sem nenhum conforto exclusivo, mas necessária para protegê-lo do frio da noite e da chuva torrencial, louve ao Senhor e lembre-se que sua sorte poderia ser o frio a chicotear a alma e tendo apenas as estrelas do céu como teto, se o alimento do corpo não é a ceia farta desejada, mas com ela sacia a necessidade e mantem a continuidade da vida, abençoe, pois os farelos dos porcos poderiam ser a realidade, se as vestimentas não forem das grifes badaladas do sucesso a cobrir o manto da alma, mas com as que têm forem comuns e que lhe atender nas necessidades e no cobrir do corpo com a mesma funcionalidade das melhores, alegre-se, pois a realidade poderia ser os farrapos, enfim irmãos caminhem como o girassol no sentido na luz e aproveite o calor aconchegante do amor divino a brindar a vida, pois o frio e o medo pertencente à realidade maligna traz a morte lenta e dolorosa do espirito.

E se o mal pisar em você e quiser destruir a flor do girassol, lembre-se de que essa fabulosa flor produz uma infinita vastidão de sementes que poderão ser plantadas em muitos jardins e continuar a seguir a luz. Mas se no primeiro obstáculo ou nos mais desafiadores desistir do progresso, como poderá merecer os jardins de Deus a nos cuidar com todo zelo de um jardineiro a amar todas as suas flores?

Às singelas formas de vida reluzem a verdadeira fonte da felicidade, pois ela não ostenta status vazios e sim o que de melhor pode ofertar que é o contorno de Deus a pincelar cada colorido o brilho verdadeiro da existência. Por isto irmãos não vislumbre com a magnitude grandiosa e visível e sim pelo que de verdadeiro poderá acrescentar na sua existência e fazer de todo o seu progresso o colorido divino.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos. 

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Rompendo parâmetros





E dirigindo-se a eles, disse: “Quem de vós, se um filho ou um boi cair num poço, não o retira imediatamente em dia de sábado?” Lucas. 14,5.



            Há padrões sociais inseridos na sociedade material onde delimita o andar e o livre arbítrio dos irmãos em nome de inúmeras leis impeditivas de liberdade e de fato praticar o bem puro e muitos por medo e receio desta dita sociedade não praticam a verdadeira vontade do Senhor, se prendem a comportamentos e mesmo culturas arbitrárias que ditam regras que acompanham a humanidade por longos períodos históricos.

            Quando esteve entre nós Jesus procurou romper diversos paradigmas ditados aos povos que eram compulsoriamente levados a cumprir determinadas regras impostas por homens que intitulavam enviados do Senhor. Comportamentos que fugiam a vontade de Deus e povos verdadeiramente amordaçados pelos sacerdotes e doutores da lei, muitos inclusive se flagelavam pela covardia determinada por esses ditadores.

            Diante de tantos excessos que imperava sobre a sociedade eis que o Pai enviou Jesus para que determinados parâmetros sociais fossem rompidos e distinguidos a vontade de Deus para com dos homens que ao longo de milênios destoa à vontade divina ensinada por inúmeros profetas e que furtada a sua essência por interesses sórdidos que prendem e até matam vidas aos que escolhem seguir a genuína vontade do verdadeiro Deus.

            Não será nas joias, nas riquezas pecuniárias, nos faraônicos palácios e nas altas grifes a cobrir o material e esvaziar a alma das futilidades que medirá o coração dos irmãos, Cristo não se apoderou dessas peculiaridades para expor a vontade de Deus e ensinar a todos nós verdadeiramente o caminho da salvação. Fora perseguido por romper com o regramento social e impor a muitos destes autoritários ditadores uma vergonha moral, onde ao querer aplicar suas leis eram arguidos pelo Mestre a se avaliarem aos excessos e aos erros que eram comuns a todos e que a severidade que desejam impor aos pecadores era também as penalidades plausíveis a seus comportamentos.

            Há na humanidade a necessidade de romper com as excessivas amordaças sociais, os momentos da historia presente compreendem que a grande evolução e inclusive o avanço do respeito alheio que é dever de todos a cumprirem e seguir com seriedade e em coletividade com as diversas diferenças sociais.

            As inúmeras culturas diversificadas no planeta existem para que todos aprendam o limite do respeito, não há como impor ao oriental o comportamento ocidental e vice versa, não há como unir numa única vertente as culturas dos continentes planetários, o que é bom para determinada nação não é compreendida por outras, mesmo os que trazem desconforto a culturas individuais e se determinados comportamento forem adverso da vontade divina quem determinara as respectivas sanções será a corte divina, não cabendo a qualquer outra nação impor sobre outras suas respectivas vaidades em nome de poderes infundados a criação do mundo e quando o desrespeito em nome dos poderes vaidosos e há invasões territoriais as guerras serão inevitáveis, causando dores e a morte de inocentes.

            Encontra-se com grande fartura na sociedade planetária indícios de imposição a culturas individuais e a difamação entre seres é imensa por não atenderem a suas realidades comuns, vizinhos que destoam e acendem uma inimizade por comportamentos distintos e pelos regramentos inclusive estéticos a indústria da beleza material mesmo que o vazio espiritual seja consideravelmente um abismo na realidade pessoal. Famílias destruídas pela vaidade e orgulho, pais e filhos separados pelo norte do pecado e do desrespeito a libertinagem maligna e tendo como base o regramento social a um dito comportamento livre frente à hipocrisia dos homens regida pelo pecado e pelos excessos lascivos.

            Busca e viver a felicidade plena deve começar pelo rompimento respeitoso com os determinados parâmetros da sociedade, assim como Jesus fez a época e com o devido respeito às leis de Israel, procurava mostrar que a ponderação e a verdadeira vontade divina começavam com o coração livre para a prática do bem, onde as necessidades alheias e pessoais não haviam de limitar períodos e momentos adequados, pois as necessidades surgem a todo o instante e para Deus não existe tempo ou momento para se praticar o bem, pois a qualquer momento podemos nos arrepender de todos os nossos pecados e caminhar livremente a pátria única e obedecendo as diferenças e fazendo de Deus a unidade do bem, sem que possa prejudicar seus semelhantes.

            Deus não é o Senhor dos males e do desconforto, é o Pai de amor e misericórdia, onde avalia em todos os corações e as ações de verdade por sua vontade e pelos ensinamentos de Cristo no evangelho divino e não pelo que a sociedade impõe pelos excessos. Há sim de respeitar as leis dos homens, pois ela é necessária para que o respeito seja imperativo, afinal, a humanidade ainda necessita de regras impostas para que haja o respeito universal, pois muitos ainda estão longe da vontade divina de seguir a estrada real da salvação, mas quando encontrar verá que nenhuma lei e nenhuma sanção serão necessárias para que se cumpra o verdadeiro comportamento do bem entre os homens.

            Quem segue os mandamentos, quem vive o verdadeiro Deus e o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo sabe que não necessita de regras humanas para caminhar a salvação e para viver em harmonia, pois sabe que as necessidades alheias começa nas próprias ações, onde se permite visualizar nos seus semelhantes às limitações que também lhe são plausíveis. E sabendo conviver com as diferenças culturais é cumprir com parte da vontade divina e colocar em pratica a lição do Messias que nos mostrou que o reino de Deus é como uma grande rede de arrastão que passa resgatando todos os peixes sem qualquer distinção, todos se misturam e aqueles que realmente merecerem graça será recebido com grande banquete de amor, felicidade e alegria.  E para fazer por merecer tamanha divindade é preciso começar a respeitar a vida como um todo, não apenas a vida humana e sim toda obra de Deus espalhada pelo universo em diversas formas e tendo essa máxima na alma será possível compreender a verdadeira escola da caridade, da fraternidade, do amor ao próximo e viver a única e verdadeira felicidade ao lado do Pai.

            Pode-se parecer uma missão impossível, somente esse sentimento é para os fracos e quem não acredita em Deus e na misericórdia divina. Mostre a sua verdadeira fé, comece se respeitando, as diferenças dentro do seu lar e estendendo a seus semelhantes e verá como nasce em você uma nova era e o quanto lhe será merecido à boa nova e as bênçãos que lhe são merecidas.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Arrependimento verdadeiro



Ele não é Deus de mortos, mas, de vivos, pois que para Ele todos vivem. Jesus.

           
            Há uma grande convergência entre realmente a existência de um suposto inferno imposto pelos homens com o proposito de ludibriar os ignorantes para com isto dominar a grande massa em nome de um poder imaginário segundo dizem adquirir de Deus.

            O dito fogo ou caldeirão ardente do maligno fora imposto num período obscuro da humanidade, onde o verdadeiro fogo ardia no livre arbítrio de comportamentos, pensamentos e de ideias onde o que era pregado deveria ser comungado por todos pelo ditar de um grupo limitado de aproveitadores que usurpavam do evangelho do Senhor e desvirtuava a verdadeira vontade de Deus para que a vaidade e o orgulho em nome desses imaginários poderes imperassem sobre os homens. Quantos irmãos perderam vidas e famílias pelo sangue derramado pela severidade destes ditadores e faziam que as testemunhas dessas barbáries vissem as consequências de quem desviasse dos caminhos impostos.

            Infelizmente o homem é o lobo do homem e em nome de imaginários poderes destroem uma série de obras do Senhor, a começar pela própria existência, onde os exageros praticados matam o próprio ser e ainda atinge quem esta ao lado e matam sonhos e evolução.

O verdadeiro inferno e o verdadeiro purgatório não é um lugar exclusivo como imaginariamente muitos creem existir, em verdade começa no comportamento e nas ações praticadas, onde a colheita da consciência ditará o estado real e a absorção dos resultados neles inseridos. Se na consciência a raiva, o ódio, o rancor, a cólera, a ingratidão, a mentira prevalecer sobre o pensamento e as ações e com isso barganhar sobre a honestidade de outros irmãos, não haverá como viver num imaginário paraíso, é um inferno que muitos buscam para suas realidades e com isso o comprometimento das futuras colheitas da evolução.

A diversidade social existente no planeta é resultado de comportamentos de um passado onde a consciência purgou por muito tempo até merecer a confiança do Senhor para uma nova oportunidade de resgatar os débitos. Quando muitos se arrependem, de certo o sofrimento será bem mais ameno, mas não apagará os débitos, o arrependimento sincero já é uma qualificadora positiva para as novas oportunidades, significa que tem a vontade de mudar seus pensamentos e ações para realmente merecer as boas colheitas. Muitos podem testemunhar esses resultados, são ricos solitários e pobres ricos de amizades, como ao contrario. Por isso irmãos a verdadeira salvação não está na medida das posses financeiras e sim na vontade real de se arrepender e modificar o comportamento contra todos os males e ofertar o melhor de si.

Auxilie também seus semelhantes a saírem do inferno e do purgatório que se entranham, pois o arrependimento não deve ser apenas uma graça egoística e vivida de forma solitária, é fortalecer para resgatar seus semelhantes, pois a confiança do Senhor depositada em nós nos credencia e fortalece a amparar inclusive quem está morto, pois Jesus nos autorizou o poder da vida e a curar em seu nome, façamos todos a nossa parte.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Tempero da vida



Se vivemos, é para o Senhor que vivemos e se morremos, é para o Senhor que morremos. Quer vivamos quer morramos, pertencemos ao Senhor. Romanos. 14,8.

            A vida planetária é a grande escola do espírito no progresso evolutivo, há momentos que a vida na matéria será fundamental para que possamos alcançar o que de supremo há de preencher na nossa existência. A resistência aos ataques do mal e o uso das faculdades existencial para fazer de nossos semelhantes habitantes do Reino de Deus é a dose de sabedoria conquistada pela experiência individual.

            Somos um conteúdo inserido numa vestimenta, classificado como corpo físico e nele é abrigada toda a vontade do intimo a exteriorizar experiências e aprendizado. Nada que vivenciamos é por acaso, sejam as situações mais adversas, seja boa, seja ruim, aprendemos sempre a crescer e fazer do nosso coração e da nossa existência igualada a Cristo que se faz referência contra todos os males.

            O corpo material deve ser zelado pela alma com bastante atenção e carinho, mas não havemos de trocar o principal conteúdo pela embalagem.  Quando o corpo físico necessita se alimentar para renovar as energias logo se busca os utensílios para amparar o alimento fundamental, coloca-se o alimento na base e consome-se o principal e ao termino descartamos o que abrigou a principal fonte de vida e o conteúdo nele contido saciado toda a vontade.

            Assim é a existência do espirito irmãos, somos colocados num corpo para amparar o espirito, nossa principal fonte de renovação, o tempo se fará necessário para que alcancemos a saúde plena da vitamina existencial e o principal ingrediente saudável é o conteúdo que está no seu interior, ou seja, na alma e quando a satisfação está cumprida, logo o corpo físico é descartado e a essência é elevada a sua verdadeira satisfação onde será avaliado no que pode ou não ser aproveitado, ou seja, o que nossa conduta frente à qualidade das nossas ações e sentimentos causou na função desempenhada.

            É importante ser alimento saudável e para isso é necessário praticar constantemente a boa conduta para si e para quem desejar usufruir do nosso principal alimento para a satisfação do bem estar e da saúde elevada. Mas quando erramos no tempero da existência e exageramos na nocividade da oferta, poderemos causar inúmeras dores, como ingratidão, raiva, ódio, medo, miséria e causar muitas mortes na esperança e na pureza de muitos onde o principal objetivo é prevalecer na alma à inocência de uma criança que infelizmente é desprezado e ofendido por muitos na severidade humana.

            Somos frutos do amor do Pai e sementes plantadas igualitariamente, mas livres para crescer como desejamos, os frutos que ofertaremos será resultado da evolução que buscamos para o desenvolvimento da árvore da vida. É importante sempre aguar nossa raiz com orações e sentimentos do bem que é a fonte eterna da salvação para uma existência saudável e para ofertar sempre frutos da essência de amor, de felicidade, de saúde plena e de alegria. E se for realmente do desejo ser fonte de vida comece orando sempre e aguando a raiz com a salubridade do amor de Deus fonte inesgotável de compreensão, misericórdia, perdão e amor.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Pelos caminhos




Nós sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, dos que são chamados segundo seu desígnio. Romanos. 8,28.


            Não importa crença, valores e posições sociais ou condição financeira, Deus nos criou em harmonia e amor e nessa graça que alcançamos nas obras que nos brinda a cada momento as maravilhas que possamos desfrutar, toda essa essência é combustível para a prática verdadeira do bem.

            Muitos irmãos dizem não crer no Senhor, mas não é isso que o Senhor se apega, ele quer para que a ação do bem seja genuinamente distribuída entre os irmãos, muitos louvam o céu nos inúmeros templos, mas pouco faz pelo seu semelhante ou em muitos momentos aumentam as dores em nome de comportamentos regrados a uma vontade imaginaria.

            A oração é muito importante para que encontre a paz interior e a força para lidar com as adversidades evolutivas, a oração verdadeira expressada com amor realmente traduzirá as consequências do bem e para a vida de quem realmente vive Deus no coração.

            As fraquezas acompanham muitos irmãos em evolução, mas não é isso que impedirá toda a ação do bem, ao contrario, são escolas que qualificarão o espirito a evoluir e encontrar as oportunidades para vivenciar a qualidade da vida existencial na graça divina. As inevitáveis quedas do caminho nada mais é que a lição para o crescimento, quando se aprende com os percalços alcança-se a divina imagem de superação da tentação de todos os males e pecados e avançar uma importante etapa no merecimento a salvação e a gratificação do bem pessoal.

            Quando atingimos a gratificação pessoal nos graduamos a transmitir o bem para a caminhada de nossos semelhantes, nenhuma graça é ofertada sem que a caridade e o compartilhamento sejam distribuídos, nada que alcançamos da divina providência deve ser mantida no baú da alma, pois ao tê-la e não distribui-la estaremos contrariando a vontade do Pai. Nada neste universo pertence exclusivamente a nossa intimidade e o que temos conquistamos pelo trabalho e pelo merecimento da boa causa, mas essa graça depositada é que a verdadeira condição de Deus oferece a poder merecer as demais dadivas.

            Eu preciso de você, você precisa de mim e todos precisam de todos na graça de Deus e nessa verdade que fazemos do nosso universo a vontade do Pai para comungar a paz e a harmonia entre povos. Muitos irmãos poderão questionar a proposta deste texto em meio às mazelas terrena que encontram a realidade dos irmãos encarnados que vivem a sensibilidade do orgulho e da vaidade imperando com veemência o coração nos homens e transformando o mundo numa opressão do maligno. Essa realidade Jesus viveu a mais de dois milênios e desde então pouco mudou, assim como a metamorfose do padrão social a ditar as regras da sociedade amordaçada por culturas adversas que não alcançam a verdadeira posição da vontade de Deus.

            Em meio a tantos pântanos ainda podemos encontrar a beleza da vida, quando permitirmos a palavra e a ação de Deus sobre nossa realidade e praticarmos o bem, a colheita será farta, temos o discernimento para escolher nosso caminho, pois o livre arbítrio nos é real, quando escolhemos mesmo com as dificuldades o caminho do bem não há o que se preocupar, pois Deus estará a cada momento nos amparando e protegendo na sua graça. E se mesmo no caminho do bem o intruso do mal cruzar o seu caminho e trazer desgastes, dores, angustia, revolta, mostre que sua força é superior, mas se a fraqueza tomar conta do seu ser e se cair em tentação lembre-se de que Deus o ama e o resgatará da morte, pois quem vive nele nada há de temer, por que o Senhor estará sempre em você.

            A escolha do caminho do bem deverá haver uma vigília redobrada, pois o maligno não quer que os irmãos sejam felizes, pois ele vive da dor e do sofrimento de cada um, por isso que a tentação de quem está com o Pai será maior e os desafios mais ásperos, pois o perverso sabe agir com propriedade, como fez com Judas, pois sabe controlar o sentimento mais cruel dos homens a ganância movida pelo poder em associação à vaidade e o orgulho destruidor de almas.

            Em nome do bem material e dos prazeres do mal e do comportamento social e de doutrinas humanas o homem é capaz de prejudicar e mesmo interromper a evolução e mesmo matar outros irmãos e essa atitude jamais será comungado e será da vontade de Deus que é o Soberano do amor, da harmonia, da paz e do bem supremo e quem vive na graça nenhuma guerra há de provocar e sim defender-se dos ataques prejudiciais do pecado sob o comando do mal, além de ter sempre ao seu lado os anjos de Deus.

            Perdoe sempre o seu irmão por mais que esse seja seu pior algoz, pois na misericórdia de Deus todos somos seus filhos, apenas muitos estão desgarrados da sua proteção, mas com todo direito de se arrepender de todos os males e viver na graça do Senhor. Afinal não temos a autoridade de julgar e condenar nenhum irmão, pois também somos devedores e quiçá até pior que aqueles que apontamos os erros e fraquezas, com isso a necessidade das reformas e com a graça alcançada e a confiança de Deus naquilo que conquistamos é que nos permitirá e será nosso dever ajudar a todos a encontrar seu caminho, pois nenhuma ação da criatura é esquecida ou desprezada.

Valorize tudo que tem a começar pela sua existência e a oportunidade de esta com Deus na sua estrada, engana-se de que no caminho de Deus é impossível de caminhar, pois da mesma forma que muitos têm para desviar-se para outros rumos, também deve haver para caminhar com Cristo ao paraíso de Deus se desejam realmente serem salvos.



Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Toda ação uma reação.



A sabedoria não entra numa alma que planeja o mal nem mora num corpo devedor ao pecado. Livro da Sabedoria. 1,4.

            Existimos pelo amor e diante da liberdade somos responsáveis pelos atos e condicionados ao merecimento da colheita ao qual de fato nos encontraremos na grande força evolutiva iminente a cada irmão. Nosso Pai nos criou para que a grande engrenagem da vida torne a existência mais favorável e que possamos saldar nossos débitos passados para um presente merecedor da abonança do futuro.

            As diferenças sociais e mesmo as adversidades físicas na matéria são oriundas de uma ação, pois todos os nossos atos há uma reação para cada sentimento e comportamento frente à sociedade. Não há como uma árvore ofertar bons frutos se a semente não for bem plantada e cuidada, e se apenas deixar para que o tempo cuide de desfrutar na tarefa natural, poderá a grande árvore crescer e frutificar, mas não há o que reclamar se este fruto não for sadio, pois ele ofertará o que suas limitações oferecerão.

            Havemos de zelar por todas as nossas sementes e planta-las em cada terra fértil no coração de nossos irmãos e na evolução planetária o fruto sadio da esperança e da fonte eterna da sabedoria. Cada um traz em seu intimo matérias suficiente para elevar o coração e a vida de seus semelhantes, mas infelizmente impera no coração e na vida de muitos as chagas do egoísmo e do individualismo, algo condenável pela vontade divina, ou seja, Deus compartilha suas belas e impares obras sem nada impossível cobrar, apenas as consequências do amor e do respeito, além de nos presentear com a sabedoria para comungar com nossos gêmeos a formação do bem comum.

            Como toda ação tem uma reação não há de lastimar se a prática lasciva do mal refutar nas colheitas desafiadoras ao bem e se a cruz pesar com veemência a caminhada existencial há de agradecer a Deus a oportunidade de aprender com os erros e com eles poder crescer na esperança e não mais pecar, mas se diante de toda prova de recuperação das ações o mal voluntario continuar a ditar as regras da ação e do sentimento, Nosso Senhor terá a autoridade de retirar da posse os valores consagrados e as oportunidades para salvação por sua vontade e permitirá que seus praticantes vivam a realidade que lhe  favorável e com isto o sofrimento da consciência a atormentar as oportunidades perdidas.

            Reclamam os praticantes do bem quando os obstáculos surgem em sua caminhada e arguem a Deus quanto aos desafios, mas como é de ciência toda nossa colheita do passado refletirá com propriedade o presente para que possamos reparar nossos erros para um futuro melhor e se a pratica do bem consome a alma aproveite cada oportunidade de crescimento e quanto aos desafios aproveite para crescer ainda mais, aprenda com eles as lições eternas da sabedoria do amor e do bem.

            Nem toda cruz é desejo de Deus, ao contrario, Nosso Pai nos quer felizes sempre e nos quer ao seu lado no seu Reino para poder auxiliar outros irmãos em evolução para que cresçam na sua graça. Quando nos enviou Jesus não traçou a crucificação do Mestre, ao contrario, fora algo determinado pelo mal dos homens, o orgulho e a vaidade em nome do poder regrado pelo maligno, mas Jesus soube em sua sabedoria receber a sentença e carregar consigo as marcas de todas as nossas fraquezas e pecados que ainda no presente insiste em dominar a vida de muitos.  O maligno agiu naquele tempo na fraqueza que existe no intimo de cada ser, na ganância e no desejo com soar na melodia do orgulho e na vaidade que faz partitura na realidade e no oceano de irmãos que se perdem com nauta sem bussola a procura de um norte e fez com que aquele, Judas, o Iscariotes, entregasse o Mestre aos abutres doutores da lei e sacerdotes da época, pois como não conseguira perder Jesus pela astucia, usou a fraqueza alheia para atingir o Mestre, mas para sua infelicidade Jesus continua sendo o maior entre nós.

            Assim como na época o maligno fez perder o apostolo, pois usa as fraquezas intimas para perder os irmãos em Deus com sua vasta sabedoria maléfica, afinal ele nos conhece muito bem como conhecia a fraqueza de Judas e soube usa-lo para cometer a traição e fez com que se perdesse na vergonha e na eterna condenação. Quantos de nós apontamos para Judas e cometemos traições e entregamos nossos irmãos a muitas perdições e mesmo a morte, como agressões, ingratidão, cólera, raiva, rancor, ostentação por luxuosos patamares sociais, quando usam a humildade de irmãos para submetê-los as vaidades, isto é uma fraqueza que acompanha irmãos encarnados e desencarnados e que haverão de aprender com as experiências individuais o valor e à proporção que cada um merece em nome do respeito e do amor, haverá de sentir no espirito as consequências dos males.

            Por isso que havemos de louvar ao Senhor mesmo sofrendo com as limitações físicas e materiais, pois é através dessa oportunidade que havemos de nos salvar e apagar da alma todos os sentimentos e todas as marcas do mal impregnadas nas ações corrosivas do pecado. Engana-se que os anjos de Deus e os irmãos habitantes do Reino do Pai não tiveram que vivenciar as mesmas tentações, ao contrario, muitos caíram e viveram inúmeras provações e consequências de seus atos, mas souberam aproveitar as oportunidades.

É tempo de redimir os pecado e buscar reformar o espírito para o presente saudável para um futuro realmente feliz.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos. 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Iniciativa para Vencer



Assim, também vós, quando tiverdes feito tudo que vos foi mandado, dizei: “Somos escravos inúteis, fizemos apenas o que tínhamos de fazer”. Lucas. 17,10.


           
            A iniciativa é algo fundamental para a nossa felicidade e para nosso progresso evolutivo, quando rogamos a Deus uma determinada situação será compreendida a magnitude do nosso merecimento e ofertada na proporção devida aos rumos que galgamos até o presente momento.

            A felicidade é algo almejado por todos nesta grande vastidão universal, roga-se muito a Deus por essa graça, e o Nosso Senhor dará todas as condições necessárias para alcança-la, mas a felicidade não será imposta ou dada como um passe de magica, ao contrario, todas as situações serão proporcionada para sua busca e será de iniciativa individual a busca-la.

            Buscar a vitória passa fundamentalmente pelos desafios evolutivos e a resistência sobre todos os argumentos do maleficio a nos perder pela caminhada existencial, não seria possível a estabilização da felicidade e da realização plena sem os desafios íntimos em superar os obstáculos impostos.

            Jesus Cristo o filho unigênito do Criador teve que vencer os desafios, os obstáculos e inclusive vencer a morte para nos salvar e perdoar todas as nossas fraquezas, mostrou-nos através do perdão e do arrependimento dos nossos pecados que podemos sim vencer e alcançar o reino, para isso basta encher os nossos corações com a graça do Espirito Santo e fortalecer com as armas da coragem, da determinação, da disciplina e da fé onde podemos vencer o ardiloso e perverso no combate e sempre com o escudo do amor e da caridade desviando todas as tentações encantadoras para avançar com segurança e certeza.

            Nosso Pai sabe que não é fácil resistir às tentações do mal e compreende que em muitos momentos o estreitamento das decisões sobre qual rumo buscar na bifurcação da vida será determinante para a qualidade e as consequências das escolhas pessoais e em muitos momentos a visão limitada e as nossas fraquezas nos fará tomar decisões arbitrarias e erradas, onde haveremos de reconhecer os erros e buscar efetivamente voltar atrás e caminhar pelo rumo certo, pois o caminho do bem jamais se altera, permanece imaculado e sem qualquer restrição a sua oferta.

            A realidade do livre arbítrio presente a cada um não foge da responsabilidade de arcar com as consequências das escolhas, o caminho escolhido terá as ofertas por ele apresentada, acredita-se que o caminho do bem é difícil se manter nele presente e que o caminho do mal é o mais curto e o mais atrativo na mascara a que se apresenta a nossa presença e por isso faz um enorme contingente de adeptos.

Caminhar pela estrada do bem pode muito bem ser fácil basta escolhe-lo e resistir às tentações do mal. O principal adversário é a vaidade e orgulho que imperam no coração e na vida de muitos irmãos o que faz com que a individualidade e o egoísmo transformem a caminhada do bem nas dificuldades aparente, pois no caminho do bem amigos deve ser desprendida das individualidades egoísticas, havendo de imperar na alma o amor, a fraternidade e a caridade que são os ingredientes fundamentais para a felicidade e as fartas colheitas de benevolências a disposição na grande árvore da vida.

Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.  

            

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Devidas Proporções.




Pois o poder vos foi dado pelo Senhor, e a soberania, pelo Altíssimo; é Ele quem examinará vossas obras e investigará vossos projetos. Livro da Sabedoria 6,3.


            Muitos perguntam a Deus os motivos de tantas diferenças entre os seres em evolução planetária e espiritual, havemos de compreender que o proposito do altíssimo traz uma constância da justiça divina em face as nossas ações e sentimentos expressados durante uma longa existência.

            As limitações físicas abundante no planeta onde a presenciamos em irmãos com diversificadas anomalias dita genéticas, traz a certeza das novas oportunidades da remissão dos nossos pecados, nenhuma dor e nenhuma cruz serão dadas ao homem sem a devida proporção, se uma cruz for mais pesada que a outra de certo que o resgate se faz necessária nas mais variadas situações.

            As novas oportunidades da remissão dos nossos pecados não se estendem apenas para a próxima encarnação, inicia-se no presente, pois quando nosso espirito desembarca no planeta traz na bagagem uma programação determinada pelo Senhor, o que haveremos de colher e vivenciar durante toda estada planetária, seremos monitorados constantemente e orientados por irmãos que se dispõe a acompanhar os encarnados por toda sua jornada que são difundidas em intuições, mediunidades ou qualquer nomenclatura que sentirem-se a vontade para descrever seus momentos mais íntimos. Lembrando que além dos irmãos estarem acompanhados por anjos de Deus orientando a cada passo e a cada situação, o livre arbítrio nos faz direitos individuais e com ele as escolhas pessoais sem as influencias secundarias, ao qual o excesso poderá trazer consequências devastadoras ou trará relevante êxito a própria evolução e de quem comunga a caminhada.

Os irmãos planetários tem a consciência do bem e do mal e não serão a cada respirar influenciados diretamente por seres superiores, pois nem o Pai influencia diretamente as ações e sentimentos, para isto enviou seus mandamentos para que se cumprisse e quem os descumpre terão as consequências dentro da devida proporção em que o Pai credenciará a cada um e a aplicação da justiça não será pelos desejos inquisitivos que muitas vezes se faz presente no coração de muitos irmãos, em que o desejo de cada passo falso ou erros de seus semelhantes o desejo de um longo sofrimento e quase nunca pela ação da compaixão de auxiliar seu próximo a se reerguer moralmente e espiritualmente, pois as fraquezas mais obscuras da alma se faz presente nesses desejos mais terríveis.

As quedas pelo caminho não estão apenas interligados a um suposto passado de erros e acertos, o presente se faz consequências dos atos imediatos que se pratica cotidianamente em nome de sentimentos desacerbados e contrários ao bem, onde as colheitas serão iminentes a proporção da semente plantada que responderão com a devida atenção que lhe prestada.

O presente em conjunto com o passado será determinante aos próximos passos para o futuro e se hoje as dificuldades são múltiplas enfrente-as com honradez e agradeça a Deus a todas as oportunidades oferecidas para que o próximo passo seja a merecida abundancia divina.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.