quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Perdão



Eternamente seremos seres aprendizes na evolução, assim como nossos irmãos habitantes dos mundos mais felizes e evoluídos, também são alunos da grande escola do nosso Pai. Viver e aprender faz parte de cada ser em cada fase da sua caminhada.

Sempre quando aprendemos, somos constantemente habitantes do erro, das fraquezas no contexto de aprendiz. Reconhecer as fraquezas nada mais é que entender que podemos crescer ainda mais, infelizmente muitos de nossos irmãos se acomoda no erro e mergulha cada dia neste profundo pântano de perversidades.

Em nosso planeta de fusão entre o bem e o mal, desfrutamos do nosso livre arbítrio para com a caminhada particular que é de direito. Sendo cada um responsável por seus atos e aderente às consequências do mesmo.

Os mistérios em torno do nosso destino quanto ao conforto ou não do mundo material é lição dada pelo nosso criador no proposito de crescer no ser sem a medida dos bens passageiros. Quando partimos das nossas obrigações da obsessão da carne, partimos apenas com que adquirimos do nosso ser interior, ou seja, o que praticamos e plantamos. Nenhum bem material lhe é autorizado a partir junto com o espirito, ficam onde surgiu, no mundo material.

Assim são nossas ações irmãos, no planeta podemos adquirir um universo de bens materiais, riquezas monetárias. Não é errado, pelo contrario, nosso senhor abençoa a todos os irmãos afortunados materialmente, desde que a essência do ser prevaleça no amor e no perdão. O perdão é uma dadiva do ser, com ele que aprendemos o bem mais precioso da alma, a humildade do crescimento.

O perdão não é um sentido que devemos praticar simplesmente para barganhar algum beneficio sórdido ou vantagens pessoais, assim como o amor, são sentimentos mais importantes de alcance a salvação, desde que seja praticado com sobriedade e honestidade do infinito da alma.  O perdão superficial e mentiroso é pior do que o tapa que se recebe ou defere, é a atitude mais covarde. 

O verdadeiro perdão esta na sensibilidade de entender que somos seres em constante evolução e crescimento. Perdoando de coração jamais poderá ser usado como instrumento de inquisição ao perdoado, senão assim não estará livre da magoa alimentada. Retirar a magoa do coração é perdão concedido e bônus de bem aventurança.

Marcelo Passos, ditado por Dr. Bezerra de Menezes

Nenhum comentário:

Postar um comentário