quarta-feira, 16 de maio de 2012

O Descarte

...
Nossa, a janela esta com defeito, vamos chamar o vidraceiro para arrumar, mas enquanto isso não podemos abri-la, vamos colocar um aviso para não acontecer acidentes. O vidraceiro chegou, a janela é essa moço, a sim, e esse aviso, por jogar fora? Pode sim, não serve mais. 

Muitas vezes não observamos quantas pessoas descartamos do nosso convívio por não conhece-la melhor, as vezes descartamos situações, oportunidades em nossas vidas, por orgulho, preconceito, preguiça, assim muitos levam suas encarnações, usam por um instante de um benefício, depois que não precisam mais, descartam. A improvisação faz parte do cotidiano de todos os seres, ao longo da existência nos deparamos com situações que temos que usar de recursos rápidos para atingir um objetivo duradouro, um desses improvisos esta na conquista de benefícios, seja em qual natureza for, uma pessoa ruge é capaz de engolir todo seu orgulho e se fazer de cavalheiro para que possa conquistar um amor, um emprego, algum bem material, após conquistar volta a ser aquele irracivel de sempre, descartando aquele bem momentâneo ao seu semelhante. 

Não ha como se beneficiar de um bem que deveria ser dever de todos e simplesmente descartar após atingir sua meta, esses descartes muitas vezes levam a um sofrimento de caráter, de convívio, se fantasiando de uma bela mascara e após a descarta revelando assim uma verdadeira face negativa, devemos valorizar tudo e a todos, escutar a voz das pequenas coisas que elevam nossa alma, seja num animal, na beleza de uma paisagem, no sorriso inocente de uma criança, jamais descartando as minimas situações da vida, afinal, o poder das pequenas coisas é que faz com que as grandes sejam destacadas, preencher todas as lacunas da vida, os instantes vazios, faz parte do caminho à felicidade.

...

Nenhum comentário:

Postar um comentário