quarta-feira, 25 de abril de 2012

Vida a dois, desafio da sociedade moderna

...

É comum estarmos num roda de amigos, na conversa informal e ver muitos desconjurando o casamento e a vida a dois, mesmo desdenhando, quando encontram um affair, logo planejam casar e ter uma vida a dois para sempre. Ao longo da existência humana o convívio com o par diferenciado vem formando a família, tão sagrada como culto das verdades eternas. 

Viver a dois requer compromisso, respeito, cumplicidade, amor, afeição, mas o que tem ocorrido com grande parte das famílias que se iniciam através do casamento é a intolerância de sentimentos, o que muitas vezes se veem incomodado com as ações alheias, assim como na vida, devemos deter o desprendimento de muitas coisas, além do equilíbrio, nem muito ao céu, nem muito a terra. 

A separação de muitos casais na nossa atual realidade, é fruto dessa cólera que impregna a maioria dos lares, no início de qualquer relacionamento, tanto homem como mulher fazem muitas concessões para conseguir iniciar o romance, ao longo da vivência vão desfazendo as mascaras e mostrando verdadeiras faces, com os preconceitos e as naturezas peculiar de cada ser. Muitos conseguem levar um relacionamento com muita tranquilidade, equilíbrio, pois sabem aceitar a índole do outro, aceitar não quer dizer acatar tudo que a outra pessoa é, simplesmente aprender com a natureza do outro.

Cada ser, independe de sua condição, humana ou animal tem suas histórias, gêmeos apesar da semelhança jamais serão iguais, assim como quem escolhemos para dividir e compartilhar a vida. Desconjurar uma vida a dois é o medo do desafio que a natureza proporciona. Na vida pessoal, profissional, nossas escolhas está relacionado ao sucesso ou o fracasso, assim como a vida a dois as escolhas determinarão o futuro. 

Saber ceder e aprender, é fundamental para qualquer convivência humana. 

Amor, cumplicidade, desprendimento, respeito, são sumários fundamentais para o casamento poder perpetuar por gerações futuras, além do compromisso sagrado.

...

Nenhum comentário:

Postar um comentário